Mistérios da Cidade

Concurso de ciências premia os melhores projetos de escolas estaduais

Iniciativa promovida pela Secretaria de Educação classificou o vencedor para feira nos Estados Unidos

Por: Mauricio Xavier [com reportagem de Vinícius Tamamoto]

Gafanhoto na merenda
Após constatação de que são ricos em proteína, gafanhotos passaram a ser usados na alimentação escolar (Foto: Divulgação)

Cerca de 500 alunos de escolas públicas participaram neste ano da primeira edição do Concurso Virtual de Ciências, promovido pela Secretaria Estadual de Educação. A iniciativa classificou 163 projetos do estado e contou com três fases eliminatórias.

O grupo vencedor, formado por Jhonatan Ferreira, Raphael Casagrande e Wigor Ribeiro, trio de 16 anos da cidade de Jales, a cerca de 600 quilômetros da capital, desenvolveu uma técnica de filtragem da água para ser usada em irrigação de plantas.

Agora, eles vão representar o país em uma feira internacional de ciências, a Genius Olympiad, em Nova York, nos Estados Unidos. Abaixo, confira esse e alguns inventos curiosos do projeto:

Bengala com GPS: com uma pulseira vibratória, o dispositivo criado por Ana Luiza Ribeiro, Gabriel Martins e Giovany França auxilia cegos

Cola de quiabo: a goma da hortaliça foi transformada em aderente natural por Eugênio Rodrigues, Pedro Moraes e Vinícius Marichi

Filtro de água: o projeto vencedor usa camadas de carvão, húmus, areia e pedra em um balde com um cano de PVC, por onde sai o líquido

Gafanhoto na merenda: escolas passaram a misturar em receitas de bolo alguns pedaços do inseto, que é rico em proteína, conforme apontou o trabalho de Jessé da Silva

Inseticida antidengue: a planta comigo-ninguém-pode protege contra o mosquito transmissor, segundo pesquisa de Leandro Rastelli

Fonte: VEJA SÃO PAULO