Culinária

Como escolher vinhos para um bom almoço de Páscoa

Por: Citi - Atualizado em

bacalhau2
(Foto: Fernando Lemos)

A Páscoa se aproxima, e com ela surge uma dúvida: que tipo de vinho é indicado para aquele almoço especial em família? Símbolo da celebração, o vinho é presença tradicional na mesa de Páscoa. Para fazer uma boa escolha, é preciso levar em conta o cardápio e variar a bebida com os diferentes pratos que serão servidos. Isso vai tornar a experiência ainda melhor.

Para ajudar a compor uma boa harmonização com alguns pratos tradicionais de Páscoa, convidamos os sommeliers Massimo Leoncini e Moisés Lacerda, da importadora Grand Cru, para sugerir tipos de vinhos que tornarão o almoço realmente especial, da entrada à sobremesa. Confira as dicas dos dois especialistas.

Entrada

salada-verde_getty-images
(Foto: Getty Images)

Um mix de folhas verdes e tenras pode compor uma salada deliciosa. Como é um prato delicado, prefira vinhos brancos frescos e mais velhos. Os vinhos italianos de Gavi, no Piemonte, são leves e caem bem com esse tipo de entrada.

Se a opção for uma Caesar Salad, a neutralidade das uvas deve ser ainda maior. Os Sauvignon Blanc e os Pinot Grigio, vinhos com um pouco mais de corpo, funcionarão bem com essa entrada. Aqui, a principal intenção é procurar vinhos que não se sobreponham aos alimentos nem aos próximos vinhos que virão ao longo do almoço.

Escolha dos sommeliers: Gavi DOCG La Meirana Broglia 2013 (R$ 138)*

Prato principal

bacalhau_GETTY-IMAGES
(Foto: Getty Images)

Para um bacalhau simples, a indicação é optar pelos brancos com boa acidez e corpo médio. Uma típica harmonização portuguesa. O ideal é continuar com os vinhos brancos no caso de um bacalhau ao forno, que recebe um maior número de ingredientes, como pimentão, ovos e azeitonas. Como a complexidade dessa receita é maior, o vinho escolhido poderá ter amadurecido em barricas de carvalho, que geram mais sabor. Os Verdicchio, da Itália, também são uma boa pedida, por serem mais concentrados.

Escolha dos sommeliers: Churchill's Meio Queijo Douro Branco (R$ 66) e Churchill's Estates Douro Branco 2014 (R$ 123)

truta_getty-images
(Foto: Getty Images)

Outras opções de peixes podem ser a truta ao molho de alcaparras, um prato pouco gorduroso e com textura, e o robalo grelhado com limão e alecrim, também leve, porém mais aromatizado. Nesses casos, prefira os vinhos brancos de médio corpo, com alta acidez. Para harmonizar com o perfume acentuado do alecrim, é melhor que o vinho não tenha sido armazenado em barricas de carvalho. Uma boa escolha são os Chardonnay.

Escolha dos sommeliers: Abad Dom Bueno Godello Joven (R$ 83) e o Garofoli Macrina Verdicchio dei Castelli di Jesi Classico Superiore DOC (R$ 97)

cordeiro_pedro-silveira
(Foto: Pedro Silveira)

Um cordeiro com batatas exige um tinto elegante e com sabor, com taninos finos e ótima acidez. Pode ficar perfeito se acompanhado com os vinhos de médio corpo e encorpado.

Escolha dos sommeliers: Cobos Felino Cabernet Sauvignon 2013 (R$ 109).

Sobremesa

chocolate_getty-images
(Foto: Getty Images)

No tão esperado momento de abertura dos bombons e dos ovos de Páscoa, nada melhor do que um bom vinho de sobremesa, aquele cujo sabor é acentuadamente doce. Prefira os vinhos tintos estruturados e lembre-se de que eles devem se equilibrar proporcionalmente ao teor de açúcar do chocolate. O meio amargo, por exemplo, tem o sabor ressaltado por vinhos como os Porto Ruby. Com chocolate ao leite, cremes e mousses, a bebida deverá ser ainda mais adocicada, o que inclui os Porto Tawny.

Escolha dos sommeliers: Van Zellers Porto Tawny (R$ 109) e Morandé Late Harvest Sauvignon Blanc 2013 (R$ 88)

Atenção à temperatura

Tanto os vinhos brancos quanto os de sobremesa devem ser servidos gelados, com temperatura entre 6°C e 10°C. Seguindo a preferência dos brasileiros pelo frescor, os tintos devem ir para a mesa a 16°C.

*Preços consultados em março de 2016

Fonte: VEJA SÃO PAULO