Comida

Comidas com sabores exóticos

Do churro de bacalhau ao sorvete de feijão, um pequeno mergulho no mundo das receitas estranhas

Por: Nana Caetano - Atualizado em

"O que parece repulsivo em uma parte do mundo em outra é simplesmente considerado almoço." A frase é do jornalista americano Jerry Hopkins, autor do livro Strange Foods, ou comidas estranhas, inédito no Brasil. Munido de coragem e curiosidade, Hopkins experimentou insetos, plantas e carnes exóticas nos cinco continentes. Com o mesmo espírito de aventura, a reportagem de Veja São Paulo testou texturas e sabores pitorescos. Há na cidade propostas absolutamente inusitadas para comidas aparentemente comuns. Na Feira da Bolívia, por exemplo, que acontece todos os domingos no Canindé, um dos petiscos mais procurados pelos visitantes se chama anticucho. É coração de boi assado, servido com molho picante de amendoim. E engana-se quem pensa que as esquisitices (ou seriam iguarias?) estão apenas no comércio de rua ou nos restaurantes das comunidades estrangeiras. Na sorveteria Häagen-Dazs, a novidade do mês é um sorvete de feijão. Na doceria Payard, o macaron, tradicional doce francês geralmente feito de chocolate, ganhou versão de água de rosas. Aventure-se!

Feijão doce (e gelado!)

Chamado de azuki beans (ou feijão azuki), o novo sabor da sorveteria americana Häagen-Dazs é um reflexo da força da comunidade oriental na cidade. A invenção está à venda apenas por aqui e no continente asiático, onde o doce de feijão é bastante comum. Cremoso, felizmente não lembra em nada feijoadas, tutus ou tropeiros. Não fosse pelos feijões inteiros presentes na massa (dá uma certa aflição...), seria possível acreditar que se trata de um sorvete de creme. A bola sai por 6 reais.

Häagen-Dazs. Rua Oscar Freire, 900, Jardim Paulista, Tel. 3062-1099. Mais três endereços

Coração de boi com amendoim

Toda semana, a boliviana Berta Valdés vai ao Mercado Municipal para comprar corações de boi. Ao chegar em casa, tira a gordura das peças, corta em filés bem finos e monta espetinhos. A cada domingo, na Feira da Bolívia, no Canindé, eles são assados numa churrasqueira portátil. A carne, que tem textura parecida com a do coração de galinha, porém mais macia, vem acompanhada de batatas cozidas, ao molho de amendoim apimentado. "Vendo cerca de oitenta bandejinhas por domingo", conta Berta, que cobra 2,50 reais pela porção.

Feira da Bolívia. Praça Kantuta (entre as ruas Pedro Vicente, Carnot e das Olarias), Canindé. A feira funciona das 11h às 19h. A barraca, das 14h às 18h

Churro de bacalhau

Antes de mais nada é preciso esquecer o gosto de doce de leite e canela que vem à boca quando se pronuncia a palavra churro. Estamos falando aqui do churro de bacalhau. A massa frita, coberta com o peixe temperado e desfiado, é vendida em formato de espiral, com 3,30 metros de comprimento (50 reais) ou em unidade (5 reais).

A Casa do Churro. Rua Rodrigues Barbosa, 232, Tatuapé, Tel. 6671-7180

Trufa de chá verde

O chá verde é o ingrediente predominante na inusitada trufa criada pelo chef pâtissier Shinobu Sasaki. Chamada de matchá, tem base de chocolate branco bem amanteigado. No fim, o chá deixa um gosto levemente amargo, embora sutil. O quilo sai por 80 reais.

Premier Cake. Alameda Campinas, 1289, Jardim Paulista, Tel. 3889-9405

Docinho sabor água-de-rosas

O chef francês François Payard conta que a água-de-rosas chegou à França por influência dos marroquinos. No país do norte da África usa-se o tempero para dar gosto a doces e cafés. Na doceria, o macaron floral vem de brinde com o expresso e, por 1 real, pode ser saboreado sozinho.

Payard. Shopping Iguatemi, Tel. 3819-4929

Leite com inhame e sagu gigante

Só provando para entender do que se trata o pobá, à venda na padaria mais oriental da cidade, a Bakery Itiriki, comandada por uma família taiwanesa. É um milk-shake docinho e meio farinhento feito de leite batido com pó de inhame-roxo. No fundo do copo, bolas negras de gelatina e tapioca que lembram sagu, mas são do tamanho de um grão-de-bico. O gosto é bem menos estranho do que a descrição. Custa 6,50 reais.

Bakery Itiriki, Rua dos Estudantes, 24, Liberdade, Tel. 3277-4939

Fonte: VEJA SÃO PAULO