Ambiente

Comércios da Vila Madalena têm arquitetura ecológica

Três lojas da Rua Harmonia usam materiais reciclados e têm ventilação e iluminação naturais

Por: Sara Duarte - Atualizado em

Imensos jardins, móveis de material reciclado e soluções que priorizam a ventilação e a iluminação naturais. Três lojas da Rua Harmonia, na Vila Madalena, estão atraindo clientes com uma arquitetura ecologicamente correta. A mais recente e badalada delas, da grife feminina Farm, ocupa um prédio de 500 metros quadrados em que 5 000 mudas de plantas parecem brotar de todos os cantos. De autoria do escritório de arquitetura Triptyque, o edifício possui um engenhoso sistema hidráulico, com capacidade para armazenar até 6 000 litros de água da chuva. Além de abastecer as torneiras, ele irriga centenas de samambaias, orquídeas e russélias. A fachada de bambu abre-se completamente para a rua, permitindo que o ar circule por todos os andares. Apesar de a marca carioca ter adicionado ao projeto folhagens artificiais e gramado sintético, a sensação que se tem é a de fazer compras no meio de uma floresta.

A 100 metros dali, uma confecção de moda infantil procura, à sua maneira, inspirar a consciência ambiental dos pequenos. Especializada em peças de algodão orgânico e garrafas PET, a Pistache & Banana tem piso de madeira de reflorestamento e é decorada com móveis produzidos com serragem prensada e filtros de café usados. Na calha do telhado há um pequeno reservatório, de onde as crianças podem tirar água da chuva para regar os vasos de plantas. Na parede, um mural em homenagem à mãe natureza aborda temas como comércio justo e ecologia.

O respeito ao meio ambiente é também o mote da Eden, a primeira loja ecológica da rua, inaugurada em junho passado. Com sede em Conchas, no interior do estado, a empresa vende roupas de algodão orgânico tingidas com corantes naturais. Na hora de abrir seu show-room, transformou um sobrado dos anos 70 em uma pequena ilha zen. O jardim ocupa uma área de 90 metros quadrados e reúne dezenas de espécies da Mata Atlântica. Um espelho-d’água de 36 metros quadrados circunda todo o imóvel e desemboca em uma cascata de pedras. Por isso, a temperatura interna mantém-se sempre amena. "Em nove meses de atividades, só ligamos o ar-condicionado três vezes", conta o proprietário, Jorge Yammine.

As três novas lojas da Rua Harmonia apontam para uma saudável tendência. "Como o público da Vila Madalena é ligado na preservação do meio ambiente, cada vez mais empreendimentos da região reservam espaço em seus terrenos para áreas verdes", diz Otavio Zarvos, dono da incorporadora Idea! Zarvos, com sede no bairro. Segundo Marcos Casado, gerente técnico do Green Building Council Brasil, órgão que concede o selo Leed de sustentabilidade, quanto maior o número de áreas ajardinadas, maior a sensação de conforto térmico e menor o risco de enchentes. "Torcemos para que iniciativas como essas sirvam de exemplo para a concorrência", afirma Casado.

Fonte: VEJA SÃO PAULO