Custo-benefício

Menus executivos que valem a pena

Selecionamos vinte restaurantes badalados que oferecem sugestões mais em conta na hora do almoço

Por: Sophia Braun - Atualizado em

Picadinho, do St. Honoré - MENU EXECUTIVO
Picadinho com feijão, couve, ovo frito e arroz: em cartaz às sextas no St. Honoré (Foto: Tadeu Brunelli)

Uma boa alternativa para quem não abre mão de saborear receitas elaboradas e não quer gastar enormes quantias é apostar no almoço executivo de bons restaurantes da cidade. Com preços fechados, esses menus ficam em cartaz de segunda a sexta, conforme o funcionamento de cada estabelecimento, e costumam incluir entrada, prato principal e sobremesa.

+ 50 comidinhas por 10 reais ou menos

+ Roteiro da diversão em São Paulo por até 50 reais

Confira abaixo vinte sugestões de bom custo-benefício:

A bela Sintra

O restaurante português foi eleito o melhor da cidade em votação unânime no especial “Comer & Beber”. O menu executivo custa R$ 66 e inclui couvert, prato principal e água. É possível provar clássicos, como o arroz de polvo e bacalhau desfiado com batata palha e ovos. E os aperitivos não se resumem a pão com manteiga. Patês variados, bolinho de bacalhau, rissole de camarão, entre outros quitutes fazem parte da seleção.

Amadeus

A chef Bella Masano, à frente da cozinha desde 2002, prepara com esmero peixes e frutos do mar na região de Cerqueira César. Na hora do almoço, cada dia da semana destaca uma receita. As quartas, por exemplo, são reservadas para a pescada amarela servida em uma panelinha de barro. O bacalhau entra em cartaz às sextas. Cada prato principal é precedido por uma sugestão de entrada, que varia de acordo com a disponibilidade de ingredientes. Uma sobremesa, geralmente à base de frutas, finaliza a refeição. O menu em três etapas custa R$ 72 por apetite.

Arábia

O endereço do Jardim Paulista apresenta receitas árabes de primeira. O almoço executivo custa R$ 38,60 por pessoa e dá direito a um salgado, um prato frio e um prato quente. Se incluir bebida não alcoólica, sobremesa e café, o preço sobe para R$ 53. Para compor o menu do meio-dia, é possível optar entre esfiha de carne, ricota e verdura ou quibe frito como aperitivo; salada, homus, babaganuche, coalhada seca ou sopa como entrada; e quibe assado, michui de filé-mignon, frango ou kafta como principal.

“Escalibada”, do Clos de Tapas - MENU EXECUTIVO
Sugestão de entrada do Clos de Tapas: berinjela, pimentão e cebola grelhados são servidos em uma lata (Foto: Divulgação)

Clos de Tapas

Na hora do almoço, é possível provar uma refeição com couvert, entrada, prato principal e sobremesa por R$ 48. Para começar, uma das sugestões é a lata de “escalibada”, composta de berinjela e pimentão vermelho grelhados, cebola em pétalas e pão. Entre os pratos principais, aparecem o arroz cremoso de bacalhau com espinafre ao Jerez e o clos burger, hambúrguer bovino servido no prato com queijo palmira mais dadinhos de batatas fritas e ketchup caseiro. A seleção de doces traz o bolo gelado com sorvete de coco.

Così

Nas duas unidades do restaurante, o menu executivo muda todos os dias. O almoço em três etapas custa R$ 39,50 por cabeça na Vila Nova Conceição, e R$ 34 na Santa Cecília. Para começar, pode aparecer a salada incrementada com damasco, queijo de cabra e amêndoas laminadas. Entre os pratos principais, já estiveram em cartaz risotos como o de bacalhau e o de tomilho ao ragu de pato. Um doce, a exemplo da musse de doce de leite com pistache, coroa a refeição.

+ A volta ao mundo pelos bares de São Paulo

+ Restaurantes com carta de cachaça, cerveja, saquê, tequila e até pisco

Due Cuochi Cucina

Incluso no preço de R$ 54 por pessoa, o couvert é composto de focaccia, pão italiano, bruschetta de tomate, tapenade de azeitonas pretas e azeite de manjericão. Depois da entrada, que é sempre uma salada, escolha entre as três sugestões do dia e as especiais da semana. Às segundas, uma das opções é o ravióli recheado de berinjela e ricota de búfala ao pomodoro e basílico. Às sextas, entra em cartaz o cabrito ao forno com batatas coradas e vagem na manteiga. A seleção de sobremesas conta com brownie de Nutella acompanhado de sorvete de creme e panacota de baunilha em fava com compota de frutas vermelhas. O menu é válido apenas na unidade do Itaim Bibi.

Emiliano

O restaurante está instalado dentro do hotel de mesmo nome, na badalada Rua Oscar Freire. O menu executivo, aqui chamado de emiliano mix, consiste em uma entrada, um prato principal e uma guarnição, a R$ 53 por pessoa. Uma das sugestões para começar a refeição é o carpaccio de filé-mignon mais cogumelos, flor de sal defumada e queijo grana padano. Na sequência, pode-se optar entre cinco receitas principais, a exemplo do salmão grelhado com manteiga fresca e endro. Para acompanhar, propõe risoto primavera com abobrinhas crocantes, purê de batatas com alho assado e mais quatro coadjuvantes. O estacionamento é cortesia da casa.

+ Blog do Lorençato: Epice terá menu degustação

Eñe

À frente do negócio, com uma filial no Rio de Janeiro, estão os chefs e sócios catalães Sergio e Javier Torres. O dia a dia da cozinha, porém, é liderado pelo jovem chef Francisco Farah, que prepara menu executivo completo por R$ 47 por apetite. Diariamente, são propostas três sugestões de entrada, a exemplo do pimentão com brandade de bacalhau, e outras três de prato principal. Rabo de touro ao vinho tinto e paella são algumas das opções rotativas. De sobremesa, receitas típicas como a crema catalana, espécie de creme brulé espanhol, podem aparecer em cartaz.

Epice

Senhor do título de chef revelação, o paranaense Alberto Landgraf muda as sugestões do almoço executivo todos os dias. Entrada, prato e sobremesa mais couvert e água à vontade saem por R$ 45 por pessoa. Entre as duas opções diárias de entrada, podem aparecer mandioca sautée com avelãs, ovo de codorna poché e Jerez ou salada de queijo de cabra, vagem, tomate confit e vinagrete de cogumelos. Dos principais, destacam-se o risoto de polvo com maçã verde acompanhado de purê de limão-siciliano e a barriga de porco servida com vagem e purê de batatas. O merengue de morango com sorbet da mesma fruta e musse de leite pode coroar a refeição.

Salmão, do Kaá - MENU EXECUTIVO
No Kaá: salmão em crosta de tomate seco mais palmito pupunha ao molho de manjericão (Foto: Tadeu Brunelli)

Freddy

Na hora do almoço, quem optar pelo menu executivo neste tradicional restaurante francês pagará R$ 59 por entrada, prato principal e sobremesa. As sugestões mudam toda segunda-feira e ficam em cartaz até a sexta da mesma semana. Não raro receitas típicas aparecem entre as opções, a exemplo do cassoulet (cozido de feijão-branco com carnes variadas), que no cardápio à la carte custa sozinho os mesmos R$ 59.

Gero

Filhote do grupo Fasano, sua cozinha também é assinada por Salvatore Loi. Apesar de o almoço executivo exigir investimento de R$ 80 por pessoa pelo combo entrada, prato principal e sobremesa, o menu se mostra vantajoso. No cardápio à la carte, a salada de folhas com lula grelhada, por exemplo, custa sozinha R$ 45. Outro ponto positivo: entre as quase cinquenta receitas em cartaz no horário, aparecem diversos clássicos da casa. Pode ser boa oportunidade para experimentar o fígado de vitela à veneziana.

Kaá

Dono de um dos ambientes mais bonitos da cidade, com cerca de 7.000 plantas amazônicas distribuídas pela parede, o variado Kaá propõe um menu executivo em duas etapas a R$ 56 por cabeça. Entre as entradas, aparecem sugestões como a salada verde com tomate, mussarela de búfala e manjericão e o ceviche com lascas de maçã verde. Dos pratos principais, é possível optar entre seis massas, dois risotos, cinco carnes e dois peixes. O salmão em crosta de tomate seco ganha a companhia de palmito pupunha ao molho de manjericão. O couvert está incluso.

+ Botecos japoneses viram moda na cidade

Kinoshita

A qualidade dos ingredientes e o cuidado na hora de elaborar as receitas renderam ao restaurante o segundo título consecutivo de melhor japonês pelo especial “Comer & Beber”. Tradicional, o cardápio não elenca combinados. As iguarias premiadas do chef e sócio Tsuyoshi Murakami são apreciadas, sobretudo, na forma de menu degustação. E a brincadeira pode custar 230 reais ou 290 reais por pessoa. Daí a vantagem do almoço executivo, apesar de menos sofisticado. A sequência chamada de takê, composta de quatro minipratos e uma sobremesa, custa R$ 49 por pessoa. Com uma sugestão fria a mais, a matsu sai por R$ 68.

La Brasserie Erick Jacquin

Mais uma cozinha premiada que oferece almoço executivo. Eleito o melhor restaurante francês nesta edição do especial “Comer & Beber”, propõe menu completo a R$ 59 por pessoa. Os comensais podem escolher entre três opções de entrada, três pratos principais e duas sobremesas, diferentes a cada dia. Sugestões clássicas como terrine de campagne e parmentier de pato podem aparecer em cartaz.

Lasanha, da Tappo Trattoria - MENU EXECUTIVO
Lasanha à bolonhesa, da Tappo Trattoria: montada na hora (Foto: Divulgação)

Santovino

Inaugurado no fim do ano passado, o restaurante de cozinha italiana foi considerado uma das melhores estreias de 2011 pelo editor de gastronomia de VEJA SÃO PAULO, Arnaldo Lorençato. Na hora do almoço, é possível saborear três receitas por R$ 45. Das entradas, chama atenção a bruschetta de gorgonzola com geleia de tomate e capim-limão. Entre os pratos principais, além de uma sugestão de carne ou peixe, há sempre uma seleção de massas que muda todos os dias. Para finalizar a refeição, aparecem doces como torta de limão e sorvete.

Shinjuku

Prestes a completar um ano de atividade, a mais nova empreitada do sushiman Shundi Kobayashi oferece rodízio de sushi e sashimi a R$ 42,00 por pessoa na hora do almoço, além de alguns pratos executivos. Em porções um pouco menores do que as servidas à la carte — e com preços proporcionais —, o yakissoba de frango com legumes sai por R$ 19,90, também por pessoa. O combinado de frios exclusivo do horário, composto por oito sushis e oito sashimis de peixes variados, custa R$ 29,90. Todas as sugestões são acompanhados de sobremesa.

+ Restaurantes: as dez melhores estreias de 2011

+ Blog do Lorençato: Ici Bistrô reaberto em novo ambiente

St. Honoré

O salão do restaurante é precedido pela confeitaria, com uma vitrine recheada de doces de inspiração francesa. Na hora do almoço, é possível saborear entrada e prato principal a R$ 38 por cabeça. Por R$ 10 a mais, prova-se também uma sobremesa. Cada dia da semana é reservado a um cardápio diferente. Na sexta, por exemplo, entra em cartaz o picadinho acompanhado de feijão, couve, ovo frito e arroz. Diariamente, há uma opção de peixe ao forno, regado ao próprio molho do assado e acompanhado de tagliolini na manteiga e sálvia.

Tappo Trattoria

Nesta casa de Benny Novak, também chef do Ici Bistrô e do 210 Diner, o almoço executivo funciona de um jeito diferente. Os comensais escolhem um prato principal do cardápio à la carte e ganham uma entrada e uma sobremesa de cortesia. O preço do almoço varia, portanto, conforme a receita escolhida. Entre as sugestões mais em conta aparecem o nhoque ao ragu de carne (R$ 39 por pessoa) e a lasanha à bolonhesa montada na hora (R$ 44 por pessoa). No outro extremo está a bisteca fiorentina (R$ 68 por pessoa), acompanhada de alho assado, rúcula e molho de tomate frio. O saboroso cannoli recheado de ricota com frutas cristalizadas e gotas de chocolate aparece entre as opções para encerrar a refeição.

Trattoria e Rosticceria Picchi

Neste novo endereço do Itaim, inaugurado em outubro, o chef Pier Paolo Picchi elabora receitas italianas simples, mas nem por isso menos sofisticadas. Ao preço de R$ 34,00 por pessoa, provam-se uma entrada, um prato principal (três opções para escolher) e uma sobremesa (duas opções para escolher). Pedidas como tagliatelle à carbonara, rosbife com salada e frango à caçadora, regado a um molho à base de vinho tinto e azeitonas, podem estar entre as sugestões da semana.

Varanda

Três vezes premiada, a churrascaria propõe almoço executivo composto de couvert, salada, prato principal e sobremesa a R$ 78,50 por cabeça. A seleção de carnes inclui bife de chorizo, baby beef, peito de frango, filé de peixe, picanha suína, entre outros cortes. Todos eles dão direito a um acompanhamento, a exemplo de arroz biro-biro, farofa ou polenta frita.

Fonte: VEJA SÃO PAULO