Humor

Comédia stand-up lota bares e teatros

Artistas entram no palco munidos apenas de microfone, um feixe de luz e piadas que satirizam fatos do cotidiano

Por: Marcela Besson - Atualizado em

No palco, nenhum vestígio de cenário. Figurinos também são proibidos. Sozinho em cena e com microfone em punho, o artista desata a falar. A platéia vem abaixo, aos risos. Criada nos Estados Unidos, a fórmula simples da comédia stand-up ("em pé", em inglês) conquistou a simpatia dos paulistanos. "Os grupos que seguem o estilo se multiplicaram nos últimos anos e o público passou a se interessar por esse humor mais informal, em tom de bate-papo", diz o ator Marcelo Mansfield, veterano do gênero e ex-integrante do fenômeno Terça Insana, show cômico que adaptou a stand-up original e inaugurou em 2001 o filão da comédia apresentada em esquetes.

Não, você não vai ouvir as manjadas anedotas de loira, de papagaio ou de português. A graça está, basicamente, em satirizar fatos do cotidiano: trânsito, filas de banco, relacionamentos, notícias, a rotina dos aeroportos... Sem se esconder atrás de um personagem, os humoristas lançam mão de frases de efeito, momentos de silêncio, caretas e boas doses de improviso. E haja fôlego: a média é de uma piada a cada 15 segundos! "A linguagem é acessível e ágil", afirma Marcelo Adnet, apresentador da MTV e um dos cabeças do coletivo Comédia ao Vivo, em temporada dupla no Teatro Renaissance e no bar Ao Vivo, em Moema. "As pessoas dão risada porque se identificam de imediato com as histórias." E se a piada não colar? A saída é reconhecer o fiasco, debochar dele e partir para a próxima fala, sempre em pé. Confira nos quadros desta e da próxima página quatro espetáculos divertidos em cartaz.

4 de 5 + 1

Onde: Teatro Renaissance. Alameda Santos, 2233, Cerqueira César, 3188-4141

Quando: sexta, 23h59 (até dia 12)

Ingresso: R$ 40,00

A trupe Comédia ao Vivo é formada por Fabio Rabin, Danni Calabresa, Danilo Gentili (de boné), Luiz França e Marcelo Adnet. Os humoristas estrearam em 2006 em Santo André e, pouco tempo depois, passaram a ocupar o diminuto palco do bar Ao Vivo, em Moema, onde permanecem em cartaz. Desde outubro, cumprem temporada de sucesso no Teatro Renaissance

Morra de rir: da performance de Marcelo Adnet, apresentador do programa 15 Minutos, da MTV, e ídolo do público adolescente. Ele é o grande destaque do show. Improvisa, interage com a platéia e canta no entra-e-sai de comediantes

Fique atento: quando a reportagem foi conferir o espetáculo, houve atraso de 35 minutos e um dos comediantes convidados não apareceu

Clube da Comédia Stand-Up

Onde: Teatro Procópio Ferreira. Rua Augusta, 2823, Jardim Paulista, 3083-4475.

Quando: quarta, 21h (até dia 17)

Ingresso: R$ 40,00

Formado em 2005, o grupo tem à frente o ator Marcelo Mansfield (à dir.), que apresenta o espetáculo e faz ótimas intervenções nos intervalos entre um integrante e outro. Completam o time Danilo Gentili, Marcela Leal e Oscar Filho – Danilo e Oscar participam do CQC – Custe o que Custar, exibido pela Rede Bandeirantes. Repórter do mesmo programa, Rafinha Bastos faz aparições esporádicas

Morra de rir: da impagável participação de Oscar Filho. Cheio de trejeitos, ele é o ponto alto do show. "Quem teve a brilhante idéia de vender sorvete em farmácia?", pergunta ele à platéia. "O sujeito chega gripado e pede um Tylenol e um Chicabon. Faz sentido?"

Fique atento: aos domingos, eles se apresentam no bar Bleecker Street, na Vila Madalena. Algumas tiradas se repetem e perdem a graça para quem já assistiu

Nocaute

Onde: Teatro Nair Bello. Shopping Frei Caneca, 3º piso, 3472-2414

Quando: sexta e sábado, 23h59 (até dia 6)

Ingresso: R$ 30,00

Além de capitanear o Clube da Comédia Stand-Up, o ator Marcelo Mansfield também encara uma apresentação-solo seguindo a mesma linha humorística. Intimista, o palco do Teatro Nair Bello contribui para o bom desempenho da performance.

Morra de rir: das piadas que fazem referência aos programas femininos de TV. Ácidas, arrancam gargalhadas da platéia. Mansfield zomba ainda de sua própria figura: "Nunca fui uma criança popular. Na infância, eu tinha vários amigos imaginários. Então, quando brincava de carrinho, imagina o trânsito que ficava lá em casa"

Fique atento: o espetáculo tem duração de apenas 45 minutos (os outros costumam ter duas horas). Na saída, a sensação é de querer mais

Deznecessários

Onde: Pueblo Bar. Rua Ministro Jesuíno Cardoso, 104, Vila Olímpia, 3845-2140

Quando: quarta e quinta, 22h (até dia 18)

Couvert artístico: R$ 30,00 e R$ 40,00

O ator Paulinho Serra (à dir.) atua e também dirige o elenco formado por Miá Mello, Rodrigo Capella, Marcelo Marrom, Eduardo Sterblitch e Maíra Charken (agachados). O grupo apresenta uma série de esquetes que fogem do estilo stand-up tradicional. Entre alguns recursos extras, os atores encarnam personagens e fazem números musicais, mas sempre de cara limpa e tratando de figuras e assuntos do cotidiano

Morra de rir: das cenas de improviso. Em clima descontraído, a platéia acaba virando alvo dos atores. Essa aproximação com o público garante o envolvimento e boas risadas

Fique atento: os textos não economizam nos palavrões

Fonte: VEJA SÃO PAULO