Mostra

Com treze peças, Circuito de Teatro em Português começa nesta terça

Mostra reúne companhias de países como Moçambique, Angola, Cabo Verde e Portugal

Por: Redação VEJINHA.COM - Atualizado em

Velho Palhaço Precisa-se
"Velho Palhaço Precisa-se": peça abre a programação do VI Circuito de Teatro em Português (Foto: Divulgação)

Com entrada gratuita, começa hoje (8), o VI Circuito de Teatro em Português. A mostra reúne treze companhias de países como Moçambique, Angola, Cabo Verde e Portugal.

+ As melhores peças em cartaz

Na estreia, a comédia "Velho Palhaço Precisa-se", da Cia. Teatro Extremo, de Almada, Portugal, ocupa o Cacilda Becker, às 21h, para mostrar a história de três artistas de circo em uma sala à espera de uma audição.

Confira abaixo todas as peças participantes:

  • Respondendo a um anúncio, três velhos palhaços reencontram-se numa sala onde são recebidos para uma audição. Esperam conseguir uma oportunidade de emprego. Enquanto aguardam, relembram o seu velho passado, recheado de momentos de humor e sarcasmo. Acontece dia 08/11/2011.
    Saiba mais
  • É uma peça que retrata a vida de sete presos dentro de uma cela, um espetáculo de humor e aventura, medos e sonhos. Acontece dia 09/11/2011.
    Saiba mais
  • O espetáculo O Falar Non tem Cancelas é um monólogo no qual o comediante, seguindo o caminho de 'Darío Fo', 'El Brujo' e outros jograis da palavra, faz um entrançado de histórias baseadas em feitos mais ou menos reais (que demonstram que a realidade supera a ficção) e na tradição oral galega. Acontece dia 10/11/2011.
    Saiba mais
  • Um combatente chamado Comandante fica instalado em um antigo posto de controle e recusa abandoná-lo. Depois de presenciar tantas mazelas e dificuldades, não quer mais olhar para os sofrimentos. Com a morte da Rainha Okinka Pampa o trono ficou vazio e a menina de nome Vânia é possuída pelos espíritos para ocupar o seu lugar. Essas histórias se entrecruzam e falam de crenças e esperanças, discutem a situação da Guiné, a sobrevivência e a dignidade do povo africano. Acontece dia 11/11/2011.
    Saiba mais
  • Mostra o drama que afeta uma família de Cabo Verde quando subitamente desaparece a figura paternal e a forma como cada membro lida com essa perda. Conscientes da brusquidão da mudança, determinante nas suas vidas, resta o consolo da imagem do pai, e um certo anseio. Acontece dia 12/11/2011.
    Saiba mais
  • Trata-se de uma peça que decorre durante um ensaio, próximo da estreia, a partir do momento em que o encenador é visitado pelo escritor/dramaturgo. Um retrato cruel e cômico sobre as relações de poder no teatro, um olhar descarnado sobre as práticas e a cultura teatrais. Acontece dia 13/11/2011.
    Saiba mais
  • Numa das roças de cacau, trabalhava um grupo de escravos, chefiado por um capataz, que a dada altura é atacado com catanas. Faz alguns tiros ao ar afugentando os revoltosos. Enquanto isso, o velho Mantana e a Luisa Bobô caminham para o terreiro, a fim de assistir o djamby. Antes de chegar ao local, vêm um angolar procurando um branco que estava entre colonos em busca do Rei Amador. Acontece dia 14/11/2011.
    Saiba mais
  • Chiarchiaro tem a fama de louco que não faz mais do que rogar pragas a toda a gente. Tem a fama, mas não o proveito. Pretende, por isso, que lhe seja reconhecido oficialmente o estatuto correspondente ao papel que desempenha. Acontece dia 15/11/2011.
    Saiba mais
  • Coletânea de três textos: 'A Fábula do Sagueiro, 'O Ritual do Milho Verde' e 'O Percurso'. Cada um representa uma fase da vida de um jovem aldeão timorense. Acontece dia 16/11/2011.
    Saiba mais
  • Tudo começa quando um homem faz uma travessia para Katembe, o outro lado da Baía de Maputo, em pleno passeio domingueiro de praia. Ele passa por um local onde estavam dois mendigos, ambos deficientes: um de braços amputados e outro cego. Aqueles mendigos haviam fugido do centro, onde em 2004 foram recolhidos pelo governo para não perturbarem a Cimeira da União Africana, que se realizou na cidade de Maputo, naquele ano. Acontece dia 17/11/2011.
    Saiba mais
  • A rotina de um casal comum é explorada em detalhes quando o espectador é convidado a entrar na casa de Zé e Nina. Ele, desempregado e corintiano convicto. Ela, uma mulher dedicada, otimista e apaixonada pelo marido. Entre os altos e baixos do cotidiano, temas como a violência contra a mulher são colocados em foco. Montada em 2010, a coprodução é resultado do trabalho dos grupos Harém (Teresina-Piauí-Brasil) e Teatro Extremo (Almada-Portugal). Acontece dia 18/11/2011.
    Saiba mais
  • Transpõe a ação da Paris do séc. XVII para uma cidade portuguesa no final do século XX. Esta versão substitui também a aristocracia das cortes de Luís XIII e de Luís XIV pela atual mediocracia das televisões e da cultura de massa. Sicrano dá relevo a uma certa marginália noturna, composta de prostitutas, delinquentes e taxistas, e a um certo star-system, frequentado por atores de teatro, cantores de música ligeira e estrelas da TV. Tal como no original, o texto explora o tema da diferença entre beleza física e beleza espiritual, mas desta vez enquadrado numa história de sucesso e estrelato, em que não é apenas a dignidade que está em jogo, mas a celebridade, o anonimato, a marginalidade e o amor. Acontece dia 19/11/2011.
    Saiba mais
  • Um homem negro é um escravo trazido à força da África para uma terra de que nunca ouvira falar – Portugal. Ele nos dirá, num português ainda mal apreendido, mas de imagens poderosas, como um dia chegaram a sua aldeia os homens brancos “feios, com cabeças de metal e pele de ferro, por sobre a pele cor de leite velho estragado”. Acontece dia 20/11/2011.
    Saiba mais

Fonte: VEJA SÃO PAULO