Educação

Colégio Bandeirantes nega em comunicado que esteja à venda

Na nota, a escola afirma que não negocia com fundo de Jorge Paulo Lemann e evoca "70 anos de história e tradição da instituição"

Por: Sophia Braun - Atualizado em

Colégio Bandeirantes
Colégio Bandeirantes: diretor recusa oferta de Lemann (Foto: Renato S. Cerqueira/Futura Press/Folhapress)

O Colégio Bandeirantes, um dos mais tradicionais de São Paulo, preparou na manhã desta terça-feira (28) um comunicado oficial no qual afirma que não está à venda.

A escola confirma que foi procurada pelo Gera, fundo do megainvestidor Jorge Paulo Lemann, com foco em educação (possui dois colégios no Rio de Janeiro). No texto, o colégio se diz "lisonjeado" por ter sido procurado, mas ressalta que "os 70 anos de história e tradição da instituição não estão à venda".

Com fortuna estimada em 25 bilhões de dólares pela revista Forbes, Lemann é sócio do 3G Capital, ao lado de Marcel Telles e Carlos Alberto Sicupira. A empresa controla a gigante InBev, além do Burger King e da Heinz. Em março, o grupo arrematou a Kraft Foods, por cerca de 50 bilhões de dólares, em parceria com parceira com a Berkshire Hathaway, do investidor Warren Buffett.

+ Colégio Bandeirantes: vazam na internet dados sigilosos de alunos

A notícia de que o colégio e o fundo estão em negociação foi publicada pelo jornal Folha de S.Paulo. Segundo a reportagem, o fundo está em negociação com o diretor-presidente do Bandeirantes, Mauro de Salles Aguiar. A assessoria de imprensa do Fundo Gera também nega que haja uma negociação em curso.

+ Rapper promove o funk que ostenta a educação em escolas

Conhecida pelo apreço pela inovação, estímulo de competição e meritocracia (valores sinérgicos aos pregados por Lemann nos negócios), a escola foi classificada em 21º lugar no ranking nacional do último Enem. Na capital paulista, é a quarta mais forte.

Jorge Paulo Lemann
Jorge Paulo Lemann: oferta para comprar tradicional escola paulistana (Foto: Regis Filho/Exame)

Abaixo, a íntegra do comunicado do Bandeirantes:

Em relação à matéria veiculada hoje na Folha de S.Paulo sobre o interesse de grupos de investimento no Colégio Bandeirantes, nos sentimos lisonjeados pela procura do Fundo Gera, o que comprova a qualidade do ensino da instituição, mas esclarecemos que os 70 anos de história e tradição da instituição não estão à venda.

Seguimos firme em nosso propósito de formar cidadãos preparados para vida, por meio de um método pedagógico próprio altamente eficaz, com o apoio de um corpo docente de excelência. 

Com a nossa filosofia de colocar o aluno como protagonista no processo de aprendizagem, embasamos suas escolhas de carreira e desenvolvemos o espírito crítico. Acreditamos em nosso modelo de negócio e sistema de ensino. É por isso que reafirmamos nosso compromisso com a qualidade e descartamos qualquer negociação que coloque em cheque o nosso propósito.

Fonte: VEJA SÃO PAULO