Noite

Club A: balada chique

Amaury Jr. promete abrir, na quinta, clube nos moldes do extinto Gallery

Por: Fernanda Nascimento - Atualizado em

Club A: balada chique Foto 2
(Foto: Veja São Paulo)

Catorze mesas com telas sensíveis ao toque, que permitem aos clientes conversar virtualmente, prometem ser a sensação do Club A, a casa noturna nos moldes do antigo Gallery que será aberta na próxima quinta (22), no hotel Sheraton São Paulo WTC, no Brooklin. A tecnologia não para por aí. Nas paredes do lado de fora do salão de 600 metros quadrados, quatro telões exibirão o registro das 53 câmeras espalhadas pelos ambientes. Tem mais. Ao ingressar no clube, cada sócio receberá um celular do qual poderá acessar a programação de DJs e shows. Com investimento de 10 milhões de reais, o empreendimento é uma aposta do apresentador Amaury Jr. na noite paulistana. Ele divide o comando do negócio com a filha, Duda Ferreira, o genro, Alexandre Cerqueira, o estilista Amir Slama e as filhas do empresário Jacques Glaz, Danielle e Vanessa.

Para se associar à casa, é necessário ser indicado por um dos 33 "embaixadores", um nome charmoso para o velho e bom promoter. O herdeiro da grife Hermès Dimitri Mussardi, a modelo Mariana Weickert e a socialite Beth Szafir estão entre as pessoas que vão decidir quem entra e quem fica chupando o dedo na porta. "Não adianta ter uma boa música, um ótimo serviço e uma bela decoração se as pessoas não forem interessantes", diz o apresentador Amaury Jr., que espera angariar mais de 6 000 sócios ao término de um ano. A anuidade custa 1 500 reais para as mulheres, 4 000 para os homens e 5 000 para casais. Cada cliente tem o direito de levar três convidados, que pagam um couvert artístico que varia de 100 a 150 reais. Apesar dos preços altos, interessados não devem faltar. "O acesso restrito desperta curiosidade nas pessoas", afirma Amaury. Segundo ele, o Clube A já vendeu quase 1 000 membership cards (como ele chama a velha e boa carteirinha de sócio) e tem uma fila de 2 000 interessados.

O agito promete ir até de manhã nas noites de quinta a sábado. A casa abre às 20 horas e a pista de dança fica sob o comando de dois DJs e uma banda. Quem preferir um espaço mais vip poderá reservar um dos quarenta camarotes, que custam de 2 000 a 25 000 reais por noite- o mais caro é o do próprio Amaury Jr., que comporta até trinta pessoas e também servirá de cenário para o seu programa na Rede TV!. Aos domingos, o estilista Amir Slama comandará um brunch à beira da piscina de 300 metros quadrados que fica ao lado da champanheria Perrier-Jouët - ali, um champanhe Perrier-Jouët Belle Epoque, com 9 litros, custará 75 000 reais. Não, não erramos nos zeros.

"Em vez de ficarem em casa, os paulistanos terão um ótimo lugar para passar a tarde", diz Slama. O tal brunch começa às 11 horas da manhã e vai até as 8 da noite. Na programação, desfiles de moda e convidados especiais. A cozinha, que ficou a cargo do restaurante português A Bela Sintra, conta com um menu especial para a área externa. "Pensamos em porções para comer com as mãos, ideais para o clima da piscina", explica a chef Kátia Santos. Entre as opções estão o bolinho de bacalhau e a tartelete de carpaccio. "O conceito daqui é a mistura. Hoje falta em São Paulo um espaço para reunir as tribos de diferentes faixas etárias", conclui Slama.

Só para abonados

10 milhões de reais foram investidos no projeto

75 000 reais é o valor da bebida mais cara do bar (um champanhe Perrier-Jouët Belle Epoque, de 9 litros)

25 000 reais é o preço do aluguel por uma noite do camarote de Amaury Jr.

98 funcionários atenderão os frequentadores

33“ embaixadores serão responsáveis por indicar os 6 000 sócios

Fonte: VEJA SÃO PAULO