ESTILO

Claudia Matarazzo: dicas de etiqueta para Natal e réveillon

Autora de dez livros sobre o tema explica como evitar gafes nas festas de fim de ano

Por: Marcella Centofanti - Atualizado em

Claudia Matarazzo: dicas de etiqueta para Natal e réveillon
Claudia: "Capriche no pacote, que é tão importante quanto o presente" (Foto: Mario Rodrigues)

A sala de estar do apartamento de Claudia Matarazzo, no bairro da Consolação, é repleta de referências a São Paulo. No tecido preto-e-branco que reveste duas poltronas e almofadas, há imagens de edifícios como o Masp, a Pinacoteca do Estado e o Monumento às Bandeiras. Sobre a mesa de centro, repousa um cinzeiro pintado com a paisagem da Avenida São João. Uma luminária de chão acomodada ao lado da mesa de jantar exibe desenhos do Teatro Municipal, da torre da TV Gazeta e do Obelisco do Ibirapuera. "Eu adoro São Paulo e minha família tem uma história muito ligada à cidade", diz a sobrinha-neta de Ciccillo Matarazzo, criador da Bienal, do Museu de Arte Moderna e do Museu de Arte Contemporânea, e irmã de Andrea, atual secretário municipal das Subprefeituras.

Jornalista de formação e cantora de coração (fãzaça de Elizeth Cardoso e Maysa), Claudia dedica-se há treze anos a falar e a escrever a respeito de um assunto com o qual está familiarizada desde a infância: etiqueta. Ela é autora de dez livros sobre o tema, entre eles Amante Elegante – Um Guia de Etiqueta a Dois e o best-seller Etiqueta sem Frescura, que, lançado em 1993, se encontra na trigésima edição. Contratada por empresas, Claudia dá em média três palestras por mês. Cada uma lhe rende um cachê de 8000 a 10 000 reais. Nessas ocasiões, costuma abordar a relação do homem com o tempo. Ou, melhor dizendo, com a falta dele. "A gente acha que tem obrigação de fazer tudo rápido", afirma. "Rapidez, no entanto, não é sinônimo de elegância e eficiência." Aos 48 anos, referência em boas maneiras, a consultora está prestes a assumir a chefia do cerimonial do Palácio dos Bandeirantes. Sua primeira tarefa será cuidar da posse do governador eleito José Serra, dia 1º de janeiro. "Quero deixar o cerimonial em sintonia com o estilo de Serra, que é prático e sem frescuras", aponta. Bem parecido, por sinal, com o dela própria. É com toda essa bagagem que Claudia oferece a seguir dicas de comportamento para situações típicas de fim de ano, desde como se vestir na festa da empresa até como organizar o cardápio da ceia de Natal.

Amigo-secreto

Tirou o chefão?

Relaxe, o chefe não vai julgá-lo apenas por uma lembrança dada numa festa de confraternização. Em geral, os presentes têm valor pré-estipulado. Respeite o limite, ainda que a intenção seja agradar. "Gastar mais pode ser interpretado como ostentação ou bajulação", diz a consultora.

Como fugir do óbvio...

Com um pouco de empenho, é possível evitar CDs ou chocolates. "Alguns presentes são uma escolha elegante e podem ser dados sem medo", afirma Claudia. É o caso de livros de arte, lançamentos em DVD e objetos relacionados ao hobby da pessoa. Informe-se se o sorteado pratica algum esporte ou faz uma coleção, por exemplo.

...com mulheres

Claudia sugere lenços e echarpes, preferencialmente de seda. Bijuterias (brincos e broches são mais fáceis de acertar do que anéis e gargantilhas), porta-retratos, caixinhas decorativas e porta-sachês estão entre as boas pedidas. Acessórios como capas de celular, cintos e pastas de trabalho também costumam agradar. Jóias, nem pensar. Perfumes, só se você souber qual é a marca preferida dela.

...com homens

Em vez de gravatas, que tal camisas pólo e acessórios de escritório, como pequenas esculturas decorativas? Se o amigo secreto gosta de charuto, pode-se presenteá-lo com um cortador, um cinzeiro, um porta-charutos de bolso ou um puro cubano. Bebidas? Escolha um vinho de boa safra ou um uísque importado.

Não gostou do presente?

Nada de caretas. Nessas horas, uma mentirinha cabe bem. Receba com entusiasmo e finja que é o presente dos seus sonhos. Se quiser trocar, torça para que o objeto não tenha sido comprado numa liquidação e vá direto à loja. Não precisa avisar a quem presenteou. Em tempo: quando você for dar o presente, é sempre bom identificar a procedência do produto. Se ele foi feito a mão, coloque um cartão com o nome e o telefone do artesão. "Funciona como um selo de origem."

Gorjetas

Para os empregados

Cozinheira, faxineira, caseiro, babá e outros profissionais que dependem diretamente de você merecem mais que uma lembrancinha. Como eles já vão receber o 13º, não é necessário contribuir com mais dinheiro. Dê um alimento ou bebida para a ceia, como dois panetones legais ou um engradado de cerveja. Pense ainda num agrado pessoal: uma bijuteria, o disco daquele artista preferido...

Para o porteiro, o zelador e o guarda-noturno

Muitos condomínios já estipulam o valor da caixinha. Basta acatá-lo. Se não for o caso do seu prédio, escolha um presente gostoso para a ceia, como um bolo, um panetone ou um vinho. Além disso, dê dinheiro, algo em torno de 10% do salário do funcionário.

Para o entregador de revista e o lixeiro

Uma caixinha entre 10 e 20 reais está de ótimo tamanho. Considere que eles vão receber dinheiro do condomínio todo...

Para o manobrista

Se é alguém que estaciona o seu carro quase todo dia, vale uma gorjeta de 15% sobre o que ele ganha.

Na hora de arrumar a mesa

1. Louça

Pratos brancos e lisos são mais fáceis de combinar. Numa mesa tradicional, pode-se acomodá-los sobre sousplats de prata. Materiais como cerâmica e palha ficam bem para o dia-a-dia.

2. Enfeites

Há uma infinidade de opções. Nesta foto, o pinheirinho neutro substituiu o batido arranjo de flores. O par de castiçais, com a haste comprida, fica acima da altura dos olhos e não atrapalha a conversa entre as pessoas.

3. Taças

Uma taça transparente é sempre mais adequada para o vinho, pois ela permite que se veja a cor verdadeira da bebida. Já o copo para água pode ser colorido.

4. Cardápio

Deixou para a última hora? Nem pense em preparar tudo sozinho. É mais fácil comprar pronto o que for possível. Com poucos dias de antecedência, pode-se encomendar a ceia. De preferência, escolha um lugar perto de casa, para facilitar a retirada da comida. A maioria das pessoas ainda é muito influenciada pelo menu europeu. Lembre-se de que é inverno no Hemisfério Norte. Um cardápio leve tem mais a ver com nosso verão. Prefira uma salada de folhas crocantes a maionese, que azeda. Frutas frescas e tortas geladas também são adequadas.

5. Talheres

A regra é clara: faca à esquerda e garfo à direita. Mas, no caso de mesas informais como esta, é possível posicionar os dois talheres do mesmo lado.

6. Toalha ou jogo americano?

Num jantar tradicional, deve-se usar sempre a toalha. "Particularmente acho mais bonito", diz Claudia. Numa ocasião informal para poucas pessoas, no entanto, o jogo americano cai bem. Detalhe imprescindível: a mesa precisa ser bonita.

Presentes

Para a família

Em primeiro lugar, é preciso definir que tipo de critério será adotado. Todo mundo presenteia todo mundo? Hoje, uma saída prática e econômica para grandes famílias é o amigo-secreto. Até uma semana antes da festa, é possível organizá-lo. Para crianças, não tem jeito. Se elas tiverem até 12 anos, vão gostar de ganhar presente. Para as mais velhas, dê dinheiro.

Para a professora do filho

Distribua agrados apenas aos professores mais especiais. Não precisa ser "o" presente, mas uma lembrancinha. Afinal, deve-se levar em conta que eles têm dezenas de alunos. Que tal um bolo de Natal ou um sachê perfumado? Dependendo do envolvimento da criança com a professora de balé ou de violão, por exemplo, pode-se caprichar um pouco mais.

Para o médico, o personal...

Mais uma vez, depende do envolvimento. O médico da família, que esteve muito próximo durante o ano (como o pediatra de um bebê), por exemplo, merece um agradecimento. Um arranjo de flores não é adequado nesse caso. Prefira um regalo gastronômico, como uma caixa de chás, uma lata de biscoitos importados ou uma cesta com variedades de geléia. "É o tipo de coisa de que as pessoas gostam, mas normalmente não compram", explica.

Para a secretária, o office-boy...

É elegante agradar a pessoas que auxiliaram você durante o ano todo, como secretárias e office-boys. Para elas, escolha pequenas jóias, bijuterias finas, um porta-retratos ou um objeto de decoração para a casa. Antes de comprar, no entanto, repare no seu estilo de vestir e procure respeitá-lo. Cintos e bolsas mais sofisticados também podem agradar. Já os meninos costumam curtir música. Invista num disco de que eles gostem. Outro presentão é dar a assinatura de uma revista.

Para um amigo do trabalho

Quer dar um presente a um colega do trabalho que não participou da festa de amigo-secreto? Tudo bem, mas entregue o pacote fora da empresa, para não provocar ciúme.

Cuidado com a embalagem

Segundo Claudia, o pacote é tão importante quanto o presente em si. Trata-se da famosa primeira impressão. "Capriche. Mesmo que isso signifique gastar mais tempo e dinheiro."

Festa da empresa

Decotes ou regata? Nem pensar

Você pode se vestir de maneira mais informal que no dia-a-dia, sem dúvida. Mas é preciso lembrar que a festa envolve pessoas do trabalho. Não é hora de abusar de decotes e fendas. Mantenha a discrição. Se o evento for diurno, como confraternização à beira da piscina, tenha cuidado redobrado. Mulheres devem optar por maiôs e biquínis mais comportados. E não podem esquecer uma saída de banho! Para os homens, nada de sungas minúsculas, shorts e regatas. "Por mais que a malhação esteja funcionando, não é hora de se exibir", diz Claudia.

E nada de pedir aumento

Pode-se falar de tudo, exceto abordar temas íntimos demais. Não tente resolver pendengas do trabalho no meio da festa e não aproveite o acesso fácil ao chefe para pedir um aumento. Outra atitude antipática é isolar-se falando ao celular.

Cartões de Natal: eletrônicos ou tradicionais?

Mensagens com votos de boas festas lotam nossas caixas de e-mail nesta época. É preciso responder uma a uma? Depende. Se o cartão for personalizado, sim. Mas, se seu nome for apenas mais um num mailing qualquer, apague e esqueça. Mandar esse tipo de mensagem, aliás, nem pega bem. "É só um e-mail a mais para a outra pessoa ter o trabalho de deletar", diz Claudia. Já cartões de papel, enviados pelo correio, continuam em alta. "Hoje, pelo trabalho que dão, eles têm valor redobrado", afirma. É preciso retribuir a gentileza, sempre pelo correio. Se o envelope chegar tarde e não puder ser respondido antes do fim do ano, não há problema. "Mande uma correspondência até 15 de janeiro, com votos de felicidades para 2007."

O guarda-roupa ideal

Produções de gala não combinam com festa de família. Na ceia, a praticidade vem em primeiro lugar. É preciso estar vestido de uma maneira confortável, pronto para se agachar e pegar o sobrinho no colo, correr para tirar o peru do forno e ajudar a vovó a abrir o presente. É um dia agitado. Saltos muito altos podem virar um estorvo. Prefira sandálias abertas, de altura média. Escolha uma roupa leve, adequada ao calor. O critério é o mesmo para a noite de réveillon. Independentemente de qual seja o seu programa, na praia ou no interior, você precisa estar preparado para virar a noite sem contratempos de sapatos apertados ou roupas que incomodam. Maquiagens carregadas derretem com o calor e não atravessam a madrugada intactas.

Fonte: VEJA SÃO PAULO