Grandes casas de shows

Segundo lugar: Citibank Hall

Local é quase um trintão em Moema

Por: Carolina Giovanelli e Pedro Ivo Dubra

Citibank Hall - 2210
Citibank Hall: inaugurado em 1983 como Palace (Foto: Jorge Sato)

A casa de Moema conquistou a segunda colocação, levando os quesitos atendimento e acústica. A regularidade — esteve logo atrás do Via Funchal em categorias de peso como conforto e visibilidade — garantiu-lhe a boa avaliação. A experiência acumulada pode ser uma explicação para esse resultado.

+ As melhores casas de show de São Paulo

Inaugurada em 1983 como Palace, é a mais antiga das quatro avaliadas. Em quase três décadas, o galpão onde já houve um rinque de patinação recebeu mais de 3.500 shows e 1.000 eventos. Seu público acumulado supera os 4 milhões de pessoas. Em dezembro, Roberto Carlos apresentou-se lá. Capaz de encher estádios, o rei se exibiu num lugar pequeno para os seus padrões. Como tudo tem um preço, os ingressos para a restrita plateia sentada de 1.446 fãs chegaram a 600 reais. Ainda assim se esgotaram.

Praticamente sozinho no mundo dos shows estrelados até o surgimento do Olympia, em 1988, o antigo Palace era sinônimo de prestígio. “Duplas sertanejas como Chitãozinho & Xororó e Leandro & Leonardo alugaram a casa como forma de dizer ‘Chegamos lá’”, lembra Sérgio Martins, crítico musical de VEJA. Hoje não é mais assim, mas o Citibank Hall ainda emana tradição.

Fonte: VEJA SÃO PAULO