Memória

CineSesc exibe filmes que foram destaques nas telas paulistanas

Reaberto, o espaço ocupa o terreno que abrigou salas lendárias

Por: Maurício Xavier - Atualizado em

Cinesesc
A fachada do espaço, em 1988: dedicado a filmes cult e clássicos (Foto: Acervo Antônio Carlos Soriano)

Após uma reforma de 960 000 reais que incluiu a instalação de poltronas mais espaçosas, uma nova tela de projeção com melhor resolução e atualização dos equipamentos sonoros, o CineSesc foi reinaugurado na última quarta (1º). Para marcar a nova fase, o Festival Sesc Melhores Filmes ocorre até o próximo dia 29, com a apresentação de produções que tiveram destaque nas telas paulistanas no ano passado.

+ Teatro Itália será reinaugurado após reforma que começou em 2011

Uma das mais tradicionais da cidade e dedicada a filmes cult e clássicos, a sala foi aberta na noite de 21 de setembro de 1979, com a exibição de obras-primas do cinema nacional, como Vidas Secas (1963), de Nelson Pereira dos Santos, e Os Fuzis (1964), de Ruy Guerra. Em sua primeira semana, recebeu shows dos cantores Jorge Ben Jor e Paulinho da Viola. Com o nome atual há 35 anos, o imóvel no número 2075 da Rua Augusta tem uma relação mais antiga com a sétima arte.

+ Premeditando o Breque vai relançar discografia em caixa especial

Orly
O Orly, inaugurado em 1969: o pioneiro no imóvel da Rua Augusta (Foto: Acervo Antônio Carlos Soriano)

Originalmente, o terreno abrigou o cine Orly, inaugurado em 20 de novembro de 1969. Seu primeiro cartaz, além de anunciar o filme francês Eu Te Amo, Eu Te Amo (1968), de Alain Resnais, trazia a frase: “Um cinema para um público de classe”. Segundo o projeto Salas de Cinema de São Paulo, o lugar era dotado do sistema de projeção Superama, concorrente do Cinema Scope. Em 1º de maio de 1975, o Cinema I abriu ali, com o musical Cantando na Chuva (1952), de Stanley Donene Gene Kelly, na primeira sessão.

Fonte: VEJA SÃO PAULO