MIstérios da Cidade

Fechado há 23 anos, Cine Marrocos será tema de documentário

Com lançamento previsto para o ano que vem, filme terá direção do cineasta Ricardo Calil

Por: Miguel Barbieri Jr.

cine marrocos
Fachada da sala em 1951: filme com Orson Welles em cartaz, decoração árabe e 2 000 poltronas (Foto: LEON LIBERMAN)

Com o slogan “O melhor e o mais luxuoso da América do Sul” e a exibição de Memórias de um Médico, estrelado por Orson Welles, o Cine Marrocos foi inaugurado em fevereiro de 1951 na Rua Conselheiro Crispiniano, no centro. Escadaria de mármore, chafariz luminoso, bar, ar condicionado e decoração árabe eram atrativos para os frequentadores, que se acomodavam nas 2 000 poltronas estofadas.

+ Associação na Mooca faz homenagem ao Fusca

Fechado em 1992, o espaço foi ocupado pelo Movimento Sem-Teto de São Paulo (MSTS) em outubro de 2013. O choque entre o passado glorioso e o presente decadente chamou a atenção do cineasta Ricardo Calil, de Uma Noite em 67. No último mês, o diretor postou sua câmera por lá e colheu depoimentos para um documentário, com lançamento previsto para o ano que vem.

+ Omar Sharif, astro de Lawrence da Arábia, morre aos 83 anos

Além das entrevistas, ele exibiu para os atuais moradores alguns filmes projetados no I Festival Internacional de Cinema do Brasil, de 1954, a exemplo de Crepúsculo dos Deuses e A Princesa e o Plebeu. “Quero mostrar como um antigo templo do glamour se tornou um local de luta social”, explica.

Fonte: VEJA SÃO PAULO