Cinema

Cine Lumière, no Itaim Bibi, fecha as portas hoje

Assim como ocorreu no Belas Artes, o motivo foi o preço do aluguel do espaço

Por: Miguel Barbieri Jr. - Atualizado em

cine lumière
A fachada do cinema: uma das últimas salas de rua da cidade fecha as portas (Foto: Reprodução/Google Street View)

Um dos poucos cinemas de rua de São Paulo fecha as portas na quinta (20). Trata-se do Cine Lumière, pertencente à rede PlayArte, que encerra as atividades exibindo a comédia romântica francesa A Datilógrafa e o drama nacional Faroeste Caboclo.

O motivo, assim como ocorreu no Belas Artes, foi o preço do aluguel do espaço. “Como acontece a cada cinco anos, venceu o contrato. Exatamente como nas últimas vezes, tínhamos interesse na renovação, mas os proprietários fizeram uma proposta de reajuste fora do IGP-M, que era o nosso índice-padrão. O reajuste era de mais de 100%. Fizemos uma contraproposta, mas eles não aceitaram. Desta forma, decidimos não seguir em frente com um valor de locação exorbitante”, diz Otelo Coltro, vice-presidente da Playarte.

A Datilógrafa
Cena do filme A Datilógrafa: uma das últimas produções em cartaz na sala (Foto: Divulgação)

Em reportagem de 2011 de VEJA SÃO PAULO, o cinema foi apontado como um dos mais espaçosos (ao lado do Cine Livraria Cultura), já que a menor distância entre suas fileiras media 101 centímetros.

Localizado na rua Joaquim Floriano, no Itaim Bibi, o Lumière, que não possui estacionamento, passou a sofrer concorrência direta do Kinoplex Itaim, localizado a poucos metros de distância e inaugurado em 2003 com seis salas mais modernas.

Com o fechamento do Lumière, vão restar apenas como cinemas de rua o CineSesc, Espaço Itaú de Cinema (com cinco salas), Reserva Cultural (quatro salas), Cine Sabesp e Marabá (cinco salas).

Fonte: VEJA SÃO PAULO