ROTEIRO

Cinco lugares para ler HQs em São Paulo

Bibliotecas e lojas especializadas para comemorar o Dia Nacional dos Quadrinhos

Por: Bruno Machado - Atualizado em

Dia Nacional dos Quadrinhos
Em 30 de janeiro comemora-se o Dia Nacional dos Quadrinhos (Foto: Thinkstock)

1. Gibiteca Henfil

Um dos maiores acervos da cidade, possui mais de 12.000 títulos e 130.000 exemplares, entre coleções completas de quadrinhos nacionais e estrangeiros, além do extinto “Pasquim” e outros fanzines de importância histórica. Antes de estar sediada no Centro Cultural São Paulo, o acervo da Gibiteca estava concentrado na Biblioteca Viriato Corrêa, na Vila Mariana.

2. Gibiteca da Biblioteca Monteiro Lobato

O acervo dispõe de mais de 3.500 títulos, entre gibis, mangás e livros para os aficionados em RPG (role-playing game), além de publicações voltadas para os adultos, como quadrinhos eróticos. Entre os títulos mais procurados pelo público estão “Tintim”, de Hergé, e “Mafalda”, de Quino.

+ Leia mais sobre quadrinhos

+ Cinco cursos para aprender a fazer HQs

3. HQMix

Criada há quase 25 anos, a loja no Centro se tornou um reduto de moderninhos e aos poucos foi se especializando em quadrinhos. Hoje, conta com um acervo com mais de 20.000 títulos e tem uma agitada agenda de eventos relacionados ao gênero.

4. Biblioteca do Sesi Vila Leopoldina

Criada com consultoria do professor Álvaro de Moya, uma especialidade no assunto, a Biblioteca do Sesi Vila Leopoldina reúne mais de 26.000 exemplares de todos os gêneros: de heróis da Marvel e da DC Comics, passando por Will Eisner, a coleções da Ebal dos anos 50 e edições italianas originais de Tex e Dylan Dog.

5. HQTeca do Centro Cultural da Juventude Ruth Cardoso

Não é um dos maiores acervos da cidade, mas se destaca pelos títulos voltados aos mais crescidos. Entre as quase 3.000 HQs, oferece ao público títulos de Will Eisner, Marjane Satrapi (criadora de “Persépolis”), além de títulos de humor nacional, como os assinados por Glauco e Laerte.

Fonte: VEJA SÃO PAULO