mobilidade

Prefeitura vai entregar metade das ciclovias previstas para setembro

Até o dia 30, gestão Haddad vai concluir 34,8 quilômetros de faixas para ciclistas, o equivalente a 54% do total previsto para o mês

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

ciclovia rio pinheiros
Trecho da ciclovia vai da ponte João Dias até a Ponte do Socorro, na zona sul de São Paulo (Foto: Divulgação)

A prefeitura de São Paulosó vai conseguir entregar pouco mais da metade das ciclovias previstas para setembro. Apresentada pelo secretário municipal de Transportes, Jilmar Tatto, a meta era construir 64,5 quilômetros do equipamento na cidade neste mês. Até a próxima terça-feira (30), no entanto, serão inaugurados apenas 34,8 quilômetros, o equivalente a quase 54% do total.

+ Ritmo acelerado expõe falhas na construção de ciclovias

Na manhã de sexta-feira (26), o Tatto admitiu a dificuldade para atingir a meta deste mês. "Vamos tentar (cumprir), não sei se dá", afirmou durante a inauguração de um percurso de 2,1 quilômetros, instalado na Avenida Arquiteto Vilanova Artigas, em Sapopemba, na zona leste.

Vias com ciclovias terão radares para fiscalizar invasão de carros

Outros dois trechos serão inaugurados até o último dia de setembro, cada um com aproximadamente 700 metros. O primeiro será aberto neste sábado (27) e fica no espaço compartilhado pelas Avenidas Sumaré e Paulo VI, na Zona Oeste. Dois dias depois, o percurso na Avenida Luiz Gushiken, na zona sul, também vai passar a funcionar. Somando as duas novas faixaso total de ciclovias entregues pela gestão Haddad chega a 79,7 quilômetros. A prefeitura pretende construir 400 quilômetros até o final de 2015.

+ Jardim Helena: o bairro com o maior taxa de ciclistas de São Paulo

Segundo a CET, não foi possível cumprir a meta por causa de alguns imprevistos. Entre eles, remanejamento de equipamentos, obras de adequação geométrica e reforma de algumas vias. A ocorrência de chuvas isoladas também teria atrapalhado, diz a CET, já que é preciso esperar três dias a secagem do piso para fazer a pintura da ciclovia. (Com Estadão Conteúdo)

Fonte: VEJA SÃO PAULO