Especial

4 ciclovias e grupos para pedalar

Saiba onde andar com sua bike e veja dicas para não ter problemas com a magrela

Por: Giovana Romani e Mariana Barros - Atualizado em

Ciclofaixa na Marginal Pinheiros_2190
Ciclovia da Marginal Pinheiros funciona diariamente (Foto: Adriano Vizoni)

CicloFaixa

Em operação há um ano, o trajeto exclusivo para bicicletas que liga os parques do Ibirapuera, das Bicicletas e do Povo é um sucesso. Recebe cerca de 12 000 ciclistas a cada domingo — número que quase dobra em dias ensolarados. O percurso de 5 quilômetros passa, entre outros pontos, pelas avenidas Brigadeiro Faria Lima, Hélio Pellegrino, República do Líbano e Ibirapuera, em um caminho plano e bastante arborizado. A pista, pintada no chão e separada dos carros por cones, abre das 7 às 14 horas e conta com uma equipe de 220 monitores posicionados ao longo do percurso. Para curtir o passeio em segurança, é preciso ficar atento à sinalização, respeitar as regras de trânsito e descer da bicicleta sempre que for atravessar cruzamentos. Muita gente aproveita para emendar as pedaladas nos circuitos internos dos parques.

+ Cinquenta dicas para entrar em forma no verão

Ciclovia da Marginal Pinheiros

Além dos trilhos, as estações da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) Jurubatuba e Vila Olímpia, ambas na Zona Sul, também são ligadas por uma pista dedicada às bicicletas. São 14 quilômetros planos margeando o Rio Pinheiros, com acessos apenas nas extremidades do percurso. Quem se cansar no meio do caminho só terá duas opções: voltar ou prosseguir — sair não está entre elas.

Diariamente das 6h às 18h. Acessos: Avenida Miguel Yunes, altura do número

300, e passarela da estação Vila Olímpia, na Avenida das Nações Unidas, s/nº.

Clube dos Amigos da Bike

Ideal para iniciantes, essa turma se reúne todas as terças às 21h no estacionamento do hipermercado Extra do Itaim Bibi. “Só pedala quem está de capacete e obedece às instruções do guia”, diz o diretor Sergio Affonso, que recomenda acessórios de iluminação. O passeio é gratuito e dura cerca de uma hora, em que são percorridos de 10 a 15 quilômetros. Ciclistas avançados integram outro grupo, que encara subidas em ritmo forte e avança por até 30 quilômetros. As saídas são às quintas no mesmo horário e local dos que estão começando. Trilhas temáticas e litorâneas são informadas no site. O próximo roteiro fora da capital será em Itajubá (MG), nos dias 20 e 21.

Estacionamento do Hipermercado Extra, Rua Leopoldo Couto de Magalhães Junior, 400, Itaim Bibi. tel.: 11 9133-2058. www.cab.com.br

 

Sampa Bikers

Fundado há dezessete anos pelo arquiteto e ciclista urbano Paulo de Tarso, o Sampa Bikers promove pedaladas noturnas pela cidade todas as quartas-feiras. Não há um roteiro predefinido: a cada semana, toma-se um rumo diferente a partir da Avenida Juscelino Kubitschek, no Itaim Bibi. Para participar, é preciso estar vestindo a camiseta do grupo (70 reais), cujo modelo, próprio para a prática de ciclismo, muda anualmente. “Também organizamos viagens internacionais”, conta Tarso, que já percorreu a Toscana, a Ilha de Páscoa e a Patagônia em cima de sua magrela. Passeios temáticos realizados em São Paulo são uma boa pedida para observar a capital de um novo ponto de vista. A pedalada de primavera, marcada o próximo dia 15, percorrerá diversos pontos do centro. Estação da Luz (foto), Pátio do Colégio, Catedral da Sé e Praça da República fazem parte do roteiro. Assim como uma paradinha estratégica no Mercado Municipal, onde dá para devorar um calórico bolinho de bacalhau ou apenas reabastecer as energias com um suco natural de frutas. A inscrição custa 30 reais e inclui camiseta e garrafa de água.

Informações pelo site www.sampabikers.com.br ou pelo tel.: 11 5517-7333. 

Estação da Luz - Sampa Bikers_2190
Estação da Luz é um dos pontos visitados pelo grupo Sampa Bikers (Foto: Divulgação)

PARA SE DAR BEM NA MAGRELA

■ Use capacete sempre, mesmo se você for apenas até a padaria da esquina.

■ Respeite as leis de trânsito. Bicicleta é um meio de transporte como os outros. Por isso, não ande na calçada ou na contramão e permaneça na faixa da direita.

■ Siga por ruas que tenham menor fluxo de veículos e evite grandes avenidas.

■ Use roupas confortáveis e de preferência coloridas para chamar a atenção dos motoristas.

■ À noite, redobre a atenção. Vista colete refletor e instale lanternas na bicicleta.

■ Fique atento às mudanças de piso durante o trajeto para evitar quedas.

■ Luvas e óculos também são acessórios de segurança indicados.

Fontes: Paulo de Tarso, presidente do grupo Sampa Bikers, e Mario Sergio Andrade Silva, da Run & Fun

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO