Transporte

Ciclovia na Paulista terá 3,8 km e deve ficar pronta em 2015

Obra, que começará em janeiro, levará seis meses para ser concluída 

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

Avenida Paulista - Capa 2330
A Avenida Paulista: canteiro central receberá ciclovia  (Foto: Lucas Lima)

As obras para a construção da ciclovia da Avenida Paulista começam em janeiro e devem durar seis meses, informou nesta terça-feira (9) o secretário municipal dos Transportes, Jilmar Tatto.

São Paulo ganhará mais 64,5 quilômetros de ciclovias em setembro

+ Dez lugares para comprar bicicletas e acessórios

A Avenida Bernardino de Campos, que a continuação da Paulista, também ganhará a via exclusiva para bicicletas no canteiro central, além de receber uma requalificação urbanística no "padrão Paulista", com enterramento da fiação, iluminação reforçada e reforma nas calçadas. Ao todo, esse eixo terá 3,8 quilômetros de ciclovia.

25 motivos para amar a Avenida Paulista

De acordo com Tatto, também serão construídas ciclovias no entorno da Paulista, como as ruas Haddock Lobo, Bela Cintra, Frei Caneca, Pamplona, Abílio Soares e Honduras. Esses trechos, porém, serão implantados na direita ou na esquerda das vias, no mesmo nível da rua, separadas das faixas dos carros por tachões e balizadores.

+ Jardim Helena: o bairro com o maior taxa de ciclistas de São Paulo

Contudo, na Paulista, a ciclovia ficará no canteiro central, que será alargado para quatro metros, 18 centímetros mais alta que as faixas de rolamento. Os relógios de rua e os tanques com plantas que hoje ocupam esses espaços serão removidos.

No total, as obras do eixo Paulista-Bernardino de Campos custarão R$ 15 milhões. Durante a execução, uma faixa de rolamento dos carros ficará interditada em cada sentido. Quando a ciclovia for inaugurada, cada faixa de automóveis da Paulista (existem três por sentido) passarão a ter 2,8 metros de largura, ante os 3 metros atuais. Já as de ônibus (uma por sentido) serão diminuídas de 3,5 metros para 3,3 metros.

Restaurantes na região da Avenida Paulista

O diretor de Planejamento da CET, Tadeu Leite Duarte, diz que a prefeitura escolherá um desvio de trânsito que impacte o mínimo possível a fluidez. "Quando a obra estiver terminada, a gente apaga (a sinalização horizontal existente) e redistribui esses tamanhos (de faixas)."

No trecho da Paulista entre as ruas da Consolação e Haddock Lobo, sentido Paraíso, a CET irá suprimir uma faixa de rolamento. "Mas o motorista terá ainda a opção de entrar pela Alameda Santos, ou, para quem vem da Doutor Arnaldo, por baixo. Esse não é um local de grande carregamento de veículos", disse Tatto. (Com Estadão Conteúdo)

Fonte: VEJA SÃO PAULO