Bikes

Ciclofaixa de lazer celebra cinco anos com selfies e passeio

Iniciado em 2009, com ligação entre parques do Ibirapuera, do Povo e das Bicicletas, projeto se expandiu para 127 quilômetros

Por: Luisa Coelho

CicloFaixa 04
Ciclistas usam a faixa exclusiva de lazer na Avenida Paulista (Foto: Divulgação)

Neste domingo (16), a ciclofaixa de lazer completa cinco anos de funcionamento. Para comemorar, a "hashtag" #CicloFaixa5Anos foi criada e um passeio ciclístico está marcado para as 11h de domingo, partindo da Praça do Ciclista, na Avenida Paulista, com pontos de empréstimo de bikes.

Iniciado em 2009, o projeto que reserva uma das faixas de importantes vias da cidade a ciclistas aos domingos teve como primeiro trajeto o Parques Sul/Oeste, que liga Parques do Ibirapuera, do Povo, das Bicicletas e Villa-Lobos. Os 45 quilômetros iniciais se expandiram para 120 quilômetros e hoje estão espalhados pela capital.

+ Visite o Papai Noel e as decorações temáticas nos shoppings da cidade

+ Veja como aproveitar ofertas exclusivas

Atualmente, são seis percursos disponíveis: Parques Sul/Oeste, Zona Norte, Zona Leste, Paulista-Centro, Paulista-Ibirapuera e Guarapiranga.

Uma pesquisa do Instituto Qualibest mostrou que 84% dos entrevistados passou a pedalar mais com a estrutura. Além disso, 86% dos motoristas ouvidos disseram ter passado a respeitar mais o ciclista.

+ Teatro Municipal nega acusação de demissões irregulares

+ Prefeitura muda ciclofaixa em Higienópolis por pressão de restaurantes

O músico e artista sonoro Dudu Tsuda é um dos que teve suas pedaladas impulsionadas pela ciclofaixa. Usava bicicleta só em parques, até que em 2010 começou a fazer uso da ciclofaixa para ir ao cinema ou a algum restaurante na Liberdade. Três anos depois, com prática, comprou sua bicicleta e passou a usá-la para o transporte diário, mas frequentemente usa a ciclofaixa em seus passeios dominicais.

"Acho interessante como essa estrutura aliou a bicicleta ao espaço urbano. Antes a bike era sinônimo de parque. A ciclofaixa é um aperitivo que muitas pessoas precisam para começar a pedalar pela cidade."

Fonte: VEJA SÃO PAULO