Trânsito

Ciclista morre atropelado por ônibus na Avenida Paulista

Marlon Moreira de Castro foi atingido por coletivo no cruzamento com a Avenida Brigadeiro Luís Antônio

Por: Luisa Coelho - Atualizado em

Atropelamento - ciclista
Ciclista atropelado na Avenida Paulista (Foto: J.Duran Machfee/Folhapress)

Um ciclista morreu na Avenida Paulista após ter sido atropelado por um ônibus no início da tarde desta segunda-feira (27). O acidente aconteceu no cruzmento da via com a Avenida Brigadeiro Luís Antônio. Segundo a empresa Ecolivery Courrieros, para a qual Marlon Moreira de Castro trabalhava como entregador, o ciclista foi atendido por uma equipe médica que passava no local e levado ao Hospital das Clínicas, mas acabou não resistindo aos ferimentos.

Uma testemunha que passava contou que a vítima chegou a levantar, mas, ferida, não conseguiu manter-se de pé. O Corpo de Bombeiros informou que a vítima teve traumatismo craniano encefálico e foi atendida inconsciente.

+ Reeleição de Dilma traz especulações sobre nomes de seu futuro governo

Até as 15h05 desta tarde, a Polícia Militar permanecia no local e duas faixas de cada sentido estavam interditadas para realização de perícia. O caso está sendo registrado no 78º DP.

Uma bicicletada foi marcada para as 20h desta segunda (27), na Praça do Ciclista, na Paulista.

A avenida já foi cenário de mais duas mortes envolvendo ciclistas. Marcia Prado morreu em 2009 e Julie Dias em 2011, ambas atropeladas por motoristas de ônibus. 

No ano passado, o limpador David Santos Sousa perdeu o braço direito ao ser atropelado por Alex Kozloff Siwek, que dirigia embriagado. O condutor do carro não prestou socorro à vítima e descartou em um córrego.

+ A bordo de uma bike, amigos vendem geladinho gourmet

+ Integrantes da CPI dos Alvarás são acusados de extorsão

A morte de Marlon acontece em um período de expansão das ciclovias em São Paulo. Até o último dia 20, havia 155 quilômetros de ciclovias na cidade. Há cerca de um mês a prefeitura anunciou para 2015 o início da construção de ciclovia no canteiro central da Paulista.  

Fonte: VEJA SÃO PAULO