Crise hídrica

Após fortes chuvas, Cantareira registra alta neste domingo

O nível também subiu em outros cinco sistemas que abastecem a região metropolitana

Por: VEJA SÃO PAULO - Atualizado em

Cantareira
Vista aérea da represa de Jaguarí, que faz parte do Sistema Cantareira (Foto: Lucas Lacaz Ruiz/Folhapress)

As fortes chuvas que atingiram a capital estão ajudando os mananciais. O Cantareira, principal sistema que abastece grande parte de São Paulo e da região metropolitana, registrou alta de 0,2 ponto percentual neste domingo (01), ficando com 11,6% de sua capacidade. 

+ Alternativas e soluções para enfrentar a crise

Segundo sistema mais importante para a capital, o Alto Tietê está com 18,6%, o que representa um crescimento de 0,3 ponto percentual na comparação com sábado (28).

Outros três sistemas controlados pela Sabesp apresentaram alta neste domingo. O Guarapiranga, que fica na Zona Sul da capital, passou de 60,3% para 61,8%. O Rio Claro subiu de 35,9% para 38,2%. Já o Alto Cotia estava com 39,86% de sua capacidade e apresenta hoje 40,7%.

+ Confira o especial sobre a crise hídrica

Composto pela Represa Billings, uma das alternativas do governo para suprir o abastecimento, o Rio Grande vinha apresentando quedas constantes, mas voltou a crescer, passando de 82,8% de sua capacidade no sábado para 85,4% neste domingo.

+ Veja as principais notícias da cidade

Na terça-feira (24), o Cantareira recuperou a segunda cota do volume morto, ao atingir o volume de 10,7%. O sistema voltará a operar com seu volume útil quando chegar a 29,2%, que representa a soma das duas cotas da reserva técnica.

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO