Música

Chico Buarque encanta o público paulistano com show intimista

Cantor começou nesta quinta (1º) a turnê que fará até o dia 8 de abril no HSBC Brasil

Por: Catarina Cicarelli - Atualizado em

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

Aos 67 anos, sendo 45 deles dedicados à carreira, Chico Buarque encantou o público com seu charme e sua música no primeiro show em São Paulo da turnê “Chico”, nesta quinta (1º) no HSBC Brasil.

+ Vídeo: Chico Buarque passa som em São Paulo

+ Turnê de Chico Buarque em SP ganha mais seis shows

+ Saiba quais shows acontecem a cidade

Tímido, ele entrou no palco em meio a inúmeros aplausos, agradeceu e deu boa noite ao público. A primeira música do set list foi “O Velho Francisco”, do álbum “Francisco”, de 1987. Logo depois, emendou uma canção na outra, respondendo ao carinho dos fãs apenas com sorrisos.

A maior parte do repertório do show é dedicada ao novo trabalho, “Chico”, lançado no ano passado. Mas era nos clássicos que a plateia realmente vibrava. Bastou que os músicos começassem a tocar “Bastidores” para o HSBC Brasil vibrar mais forte. O delírio maior ocorreu em “Geni e o Zepelim”, quando além de cantarolar junto da plateia tratou de ajudar com palmas o ritmo agitado do refrão.

O cenário se alternava entre pinturas de Candido Portinari, como “O Bloco Carnavalesco” e “O Circo”, e uma escultura móvel de uma fita de Möbius, um objeto topológico usado em estudos matemáticos. De camisa de manga comprida e inteiramente vestido de preto, o cantor passou praticamente todo o show sentado em um banquinho.

“Todo o Sentimento” e “O Meu Amor” embalaram os românticos e apenas ao final da apresentação houve espaço para canções mais animadas, como “Tipo um Baião”, do novo álbum, quando parte do público decidiu levantar de suas cadeiras e se acomodar em um espaço livre. Ali, alguns casais ensaiaram passos de dança.

O rapper Criolo, que estava sentado em uma mesa próxima ao palco, cantou com empolgação quando, durante a música “Cálice”, Chico inseriu versos seus. Na plateia também estavam outros nomes famosos, como Beatriz Segall, Marília Gabriela e o casal Bárbara Paz e Hector Babenco.

Em “Sou Eu”, o baterista Wilson das Neves foi à frente do palco para acompanhar Chico. Vestido de branco, ele deixou o chápeu cair e, em vez de pegá-lo, sugeriu que o cantor colocasse — o que de fato aconteceu, para a alegria da plateia, que riu da cena.

Já quase na casa dos 70, Chico continua a enfeitiçar sua fãs. Ao final de casa música, não faltavam gritinhos apaixonados de “eu te amo” e “lindo”.

Quando o músico saiu após o primeiro bis, o ardor da plateia era ininterrupto e a banda voltou para uma segunda dose. Depois, Chico fez uma divertida corridinha de um canto a outro do palco, dando as mãos para os fãs e sumiu atrás do cenário.

A turnê do músico em São Paulo vai até o dia 8 de abril. Os ingressos para as seis novas datas anunciadas nesta semana já se esgotaram.

Fonte: VEJA SÃO PAULO