Restaurantes

Chef Vivi apresenta cozinha essencial

Na Vila Madalena, Viviane Gonçalves elabora receitas que valorizam o sabor de cada matéria-prima

Por: Arnaldo Lorençato - Atualizado em

Chef Vivi - RESTAURANTES - 2256
Filé-mignon sobre purê de abóbora com salada (Foto: Fernando Moraes)

Antes de se instalar na Vila Madalena, onde abriu em novembro do ano passado o minúsculo Chef Vivi, a paulista de São José dos Campos Viviane Gonçalves aperfeiçoou sua carreira profissional longe do Brasil. Na Inglaterra, ela botou o pé na cozinha ao terminar o curso de gastronomia e hospitalidade da City of Bristol College e chegou a atuar no extinto Bocanova no posto de subchef. De lá, migrou para a China e escolheu Pequim para montar o Alameda, especializado em culinária brasileira. Em funcionamento desde 2004, o restaurante foi eleito três vezes o melhor endereço de menu internacional da capital chinesa pela revista “That’s Beijing”.

+ Epice terá menu degustação

+ Restaurantes: as dez melhores estreias de 2011

Em uma cozinha envidraçada, Viviane desenvolve um trabalho ao mesmo tempo simples e primoroso. Em suas receitas, nota-se o sabor de cada matéria-prima. Como não há um cardápio fixo, as sugestões são preparadas com os melhores ingredientes disponíveis no dia ou na temporada, tudo de grande frescor. Isso é bom, mas também provoca um inconveniente. Não raro, e em especial durante a semana no almoço, quando oferece um executivo completo por R$ 39,50, alguns pratos costumam acabar rapidamente.

Chef Vivi - RESTAURANTES - 2256
Viviane: ex-sócia de um restaurante premiado na China (Foto: Fernando Moraes)

Na visita realizada em 26 de janeiro, foi provada a última unidade da deliciosa anchova assada guarnecida de cuscuz de quirera regado a bastante azeite de hortelã mais ervilha-torta (R$ 29,50). À noite, aparecem entre as pedidas o ótimo peito de pato malpassado com minicenoura e cebola caramelada e a grandiosa peça de filé-mignon disposta sobre purê de abóbora-japonesa na companhia de salada (R$ 59,00 cada um). Antes, as opções de entrada incluem a salada morna de beterraba com um toque defumado, enfeitada com folhas da própria hortaliça e erva-doce (R$ 27,50).

+ Restaurantes com carta de cachaça, cerveja, saquê, tequila e até pisco

Da lista de sobremesas, igualmente mutante, prefira a refrescante salada de frutas com mirtilo e morango mergulhados em suco de laranja (R$ 17,00). Na carta de vinhos constam rótulos como o tinto francês Le Loup Dans La Bergerie 2010 (R$ 71,00). Fecha no domingo (19) e reabre no dia 23.

COMIDA ✪✪✪✪ | AMBIENTE ✪✪✪ | SERVIÇO ✪✪

Fonte: VEJA SÃO PAULO