GASTRONOMIA

Chef Bel Coelho serve pratos por até 25 reais na Vila Madalena

Em mais uma edição do projeto Canto da Bel, a cozinheira oferece no sábado (23) receitas no Beco do Batman 

Por: Veja São Paulo

Clandestino-Bel-Coelho
Bel Coelho: chef cria receitas para o projeto Canto da Bel (Foto: Divulgação)

Não é mais preciso desembolsar uma pequena fortuna para provar os pratos elaborados pela chef Bel Coelho. Se no restaurante Clandestino a cozinheira prepara um caro menu-degustação apenas uma semana por mês, no projeto mensal Canto da Bel ela oferece pedidas bem mais em conta.

Canto da Bel Peru
Taqueños peruanos de cerdo (R$ 18,00): recheados com porco e repolho (Foto: Lucas Terribili)

Neste sábado (23), o evento ocorre como sempre no próprio Clandestino, que fica no Beco do Batman (Rua Medeiros de Albuquerque, 97, Vila Madalena). Das 12h às 18h, serão servidos pratos de sotaque peruano (tema da edição), desenvolvidos com base na viagem de Bel para o país, feita em abril.

Batizados de taqueños peruanos de cerdo (R$ 18,00), os rolinhos fritos de massa crocante recheados com porco e repolho são acompanhados de maionese com pimenta ají. Entre os pratos principais, o clássico ceviche (R$ 20,00) ganha uma versão com peixe cavala, cambuci e farinha ovinha, feita na Amazônia com mandioca. 

+ Ceagesp promove festival de sopas

Já o arroz chaufa de lula (R$ 25,00), o prato mais caro, é um arroz frito com caldo de feijão, brócolis, pimentão, gengibre, ovo e óleo de gergelim. Também dá para provar uma versão vegetariana feita sem a lula, pelo mesmo valor. No arremate, a musse de atemoia e calda de tamarillo, um tomate agridoce de árvore, custa R$ 15,00.

Canto da Bel_Clandestino
 Canto da Bel: cozinha no Beco do Batman (Foto: Lucas Terribili)

Para beber, há o clássico drinque pisco sour (R$ 15,00), a cerveja Jackpot Helles (R$ 15,00), da cervejaria Blondine, além do suco de grumixama (R$ 7,00), fruta nativa da Mata Atlântica. 

Sem a necessidade de reservas ou pagamento antecipado, como ocorre no Clandestino, o evento é uma boa chance para o público conhecer a cozinha onde funciona o restaurante. 

+ Conheça os 10 bares mais curiosos de São Paulo

Fonte: VEJA SÃO PAULO