Mistérios da Cidade

Centro de Memória da Fundação Mario Covas abre para público

Por: Daniel Nunes Gonçalves [Camila Antunes e Sara Duarte] - Atualizado em

O ano é 1935. Em Santos, o menino (à dir.) e sua irmã, Nydia, vão brincar o Carnaval. Na adolescência, ele se mudaria para a capital e se revelaria um ás das ciências exatas. No Colégio Bandeirantes, formou-se técnico químico, especializado em sabão e glicerina. Estudou engenharia civil na Escola Politécnica da USP e tomou gosto pela política. Nos anos 50, virou vice-presidente da UNE.Foi deputado federal, senador, prefeito de São Paulo e duas vezes governador do estado. A trajetória de Mario Covas pode ser conferida a partir de sábado (23), quando o Centro de Memória da Fundação Mario Covas (Rua Sete de Abril, 59, 2º andar, centro, 3129-7341) abre seu arquivo para o público.

Fonte: VEJA SÃO PAULO