Cidade

Centro de acolhida para LGBT é inaugurado em São Paulo

Local na Zona Norte recebe travestis e transgêneros em situação de rua

Por: VEJA SÃO PAULO

Centro de Acolhida - Prefeitura - LGBT
Centro de Acolhida Zaki Narchi tem 900 vagas (Foto: Divulgação)

A prefeitura de São Paulo inaugurou no último dia 9 um novo centro de acolhida para moradores de rua com uma característica diferente: quartos separados para receber gays, lésbicas, trânsgêneros e travestis. O Centro Zaki Narchi fica na Zona Norte da capital e tem 900 vagas, divididas em três alas com regras específicas para cada uma.

+ Operação tapa-buraco terá fiscalização com foto

+ Dilma lidera em nova pesquisa Datafolha

Segundo a Secretaria Municipal de Assistência Social, o primeiro espaço, com 500 vagas, funciona como uma triagem: o morador de rua pode chegar e dormir, tomar banho, comer e lavar roupa antes de ser avaliado pela equipe de assistentes.

De lá, são encaminhados para a segunda ala (200 vagas), onde passam por tratamento de saúde e são capacitados em cursos técnicos. Na terceira ala, com o mesmo número de vagas, só fica quem já tem emprego e está em condições de deixar o abrigo em breve. 

Em cada um desses espaços há um quarto destinado especialmente à população LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e transgêneros), que tem dificuldade em ser aceita em outros abrigos. De acordo com a prefeitura, o centro já acolhe principalmente travestis que viviam nas ruas do entorno ou em favelas do centro.

+ Confira as últimas notícias da cidade

Fonte: VEJA SÃO PAULO