Criminalidade

Túmulos de Mario de Andrade e Monteiro Lobato são alvo de ladrões

Em um ano, já foram registrados 600 boletins de ocorrência de furtos em cemitérios municipais

Por: Redação Veja São Paulo

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

Os cemitérios municipais de São Paulo guardam grande valor cultural dentro de seus muros. No cemitério da Consolação, por exemplo, nomes importantes da nossa cultura estão sepultados por lá. Mario de Andrade, Monteiro Lobato, Tarsila do Amaral, Oswald de Andrade são alguns deles. No entanto, nem mesmo as obras que eles deixaram foram capazes de impedir furtos em seus túmulos.

+ Guarda Civil prende suspeito de furtar objetos do Cemitério da Consolação

+ Cemitérios vão contratar segurança privada

De acordo com o Serviço Funerário Municipal, ligado a Secretaria de Serviços, os furtos mais recentes de nomes famosos foram dos portões de cobre dos túmulos de Mario de Andrade e Monteiro Lobato, no primeiro semestre.

Desde o ano passado já foram registrados 600 boletins de ocorrência e 220 furtos nos 22 cemitérios municipais. A grande maioria são roubos de peças de bronze e cobre.

Segundo a assessoria de imprensa, são roubos que acontecem de madrugada. A autarquia ligada à Secretaria de Serviços estuda formas de segurança nos locais, como a instalação de mais câmeras e iluminação. A assessoria de imprensa informou que apenas o Cemitério da Consolação e o Araçá possuem a presença 24 horas da Guarda Civil.

Fonte: VEJA SÃO PAULO