Televisão

“Fiquei indignado”, diz Celso Russomanno, xingado em gravação

Deputado e jornalista discutiu com dois homens após fazer o quadro Patrulha do Consumidor, na Record

Por: Ana Carolina Soares

celso russomanno
Celso Russomanno: alvo de comerciantes durante gravação (Foto: Reprodução)

No sábado (10), o jornalista e deputado federal Celso Russomanno (PRB) bateu boca na Rua Jurubatuba, em São Bernardo do Campo. Dois comerciantes da área se incomodaram com a presença da equipe do Patrulha do Consumidor, quadro dele no Cidade Alerta, da Record. Russomanno esteve lá ao lado de um telespectador que recebeu um sofá com defeito e não conseguia resolver o problema. Na saída, Russomano xingado. A cena foi exibida no programa desta quarta (14). Abaixo, ele comenta o episódio:

Por que a agressão?

Eram comerciantes vizinhos e achavam que eu tinha ido lá para falar mal da rua, que a veiculação da reportagem iria prejudicá-los. Mas a culpa não é minha ou de qualquer jornalista. O que prejudica a fama da rua é o mau lojista que quer enganar o consumidor, não a imprensa ou eu que fui lá em pleno sábado (dia 10) para fazer a matéria. A Rua Jurubatuba, em São Bernardo do Campo, é conhecida por vender móveis. Há vários comerciantes por lá, a maioria, árabe, e são muito unidos. Dois deles decidiram me atacar.

+ Confira as principais notícias da cidade

Houve briga com a câmera desligada?

Foi só aquilo exibido no ar, nada mais. Já havíamos terminado de fazer o acordo com o lojista (ele teve uma semana para consertar um sofá recebido com defeito por um cliente) e fomos abordados por dois homens. Eles começaram a nos xingar em árabe e um deles fez gestos obscenos, exibiu o dedo do meio. Decidi ligar a câmera novamente para registrar aquela reação e conversar com eles. Fiquei muito indignado.

Mas teve alguma reclamação envolvendo você, como político?

De forma alguma. Essa matéria foi feita no sábado. Fico em Brasília terça, quarta e quinta, na Câmara dos Deputados. Depois, volto a São Paulo e aqui, vejo questões dos meus eleitores, matérias da Record e compromissos pessoais. Aliás, na manhã de hoje (quinta, 15) consegui a aprovação por unanimidade de uma promessa da minha campanha: a criação de um código de proteção e defesa do usuário dos serviços públicos federais. O Procon é um órgão público e seus diretores ganham o posto com o aval dos governadores. Ou seja, se peitar serviços públicos, o cara perde o emprego. Por isso, a importância dessa lei.

Fonte: VEJA SÃO PAULO