Teatro

Em 'Casting', Caco Ciocler tenta reunir elenco para show erótico

Escrita pelo russo Aleksandr Galin, comédia é ambientada no país natal do autor

Por: Dirceu Alves Jr. - Atualizado em

casting-2168
O ator diante das nem tão sensuais candidatas: ele dá chiliques (Foto: Lenise Pinheiro)

Escrita pelo dramaturgo Aleksandr Galin, a comédia Casting centra a ação em uma cidade da Rússia, seu país. Não causaria estranheza se fosse ambientada no Brasil ou em outro lugar do mundo. Com pleno domínio do discurso universal, o autor aborda a tentativa de um povo de manter a esperança. No caso, os russos órfãos do comunismo e falidos diante do capitalismo. Graças ao tom satírico valorizado pelo diretor Marco Antonio Rodrigues, a montagem (à primeira vista um pouco pesada) se distancia do pessimismo e leva o público a rir bastante.

A começar pelo ator Caco Ciocler, um tipo improvável para a comédia. Em cena, ele revela seu lado histriônico e surpreende ao dar chiliques como um produtor de elenco encarregado de selecionar mulheres para um espetáculo em Singapura. Logo se percebe que o trabalho não é lá tão sério assim — na verdade, trata-se de um show erótico. A diversidade das candidatas, algumas avançadas na idade e sem o corpo ideal, e, em seguida, a interferência dos maridos delas realçam a ironia pretendida. Mesmo com boas atrizes, como Bete Dorgam e Nani de Oliveira, a peça perde alguns pontos na irregularidade do elenco feminino. Essa fragilidade se evidencia principalmente depois da entrada, no segundo ato, do time masculino formado por Flávio Tolezani, Heitor Goldflus e Nicolas Trevijano, todos em sintonia no palco.

Fonte: VEJA SÃO PAULO