Cidade

Igreja promove casamento coletivo gay neste sábado (15)

Primeira Igreja Cristã Contemporânea de São Paulo realiza cerimônia para seis casais homoafetivos com direito a orquestra, funk gospel, bem-casado e buquê

Por: Marcus Oliveira - Atualizado em

Igreja Gay São Paulo Casamento
Igreja Cristã Contemporânea de São Paulo, na Zona Leste, promove casamento gay coletivo (Foto: Divulgação)

Aberta em abril do ano passado, a primeira sede da Igreja Cristã Contemporânea de São Paulo, conhecida popularmente como a igreja gay, promove neste sábado (15) seu primeiro casamento coletivo para casais homoafetivos.

+ 'Doei todo o meu salário para tentar me curar', diz pastor de igreja gay

Ao todo, seis pares, sendo quatro de mulheres e dois de homens, participarão da cerimônia no templo do Tatuapé, a partir das 19h30. Além da tradicional marcha nupcial, a orquestra tocará durante o evento o funk gospel. Já a festa contará com bolo, buquê, bem-casado, entre outras atrações.

+ Casais homossexuais se casam de papel passado

A cerimônia será realizada pelos pastores Fabio Inácio de Souza e Marcos Gladstone, casados e pais de dois filhos.

De acordo com Souza, a solenidade celebrará o amor e os valores que a igreja pretende levar à sociedade. "Esses casais frequentam o nosso templo. Queremos dar essa cerimônia de presente para eles." 

Pastores Igreja Gay São Paulo
Os pastores e fundadores da igreja Marcos Gladstone e Fabio Inácio de Souza (Foto: Divulgação)

O evento contará também com 160 convidados. "Vai ter vestido de noiva, buquê. Queremos que tudo seja como uma festa de casamento tradicional." Para Gladstone, "a igreja mostra que os gays não precisam de igrejas fundamentalistas, como as de Silas Malafaia e Feliciano".

Próximo a completar um ano de atividade em São Paulo, a igreja, fundada originalmente no Rio de Janeiro, já conta com 400 fiéis, que marcam presença nos cultos realizados as quartas e sextas, às 20h, e aos domingos, às 19h. "A meta ainda é fundar mais dez igrejas em São Paulo. Tem ficado gente do lado de fora durante os cultos", conta Souza, que já foi pastor da Igreja Universal do Reino de Deus durante quatro anos, antes de assumir sua orientação sexual.

Ele diz que não pretende buscar espaços na região central, por conta da grande demanda de outros templos, e conta que tem realizado ações no bairro do Arouche para "resgatar" pessoas "perdidas" e sem orientação religiosa. "Levamos a banda da igreja sempre à noite e muita gente procura, vem chorando. Queremos fugir dos grandes centros, pois gostamos desse clima de bairro, tem essa características de família e é o que pregamos", diz ele que garante um novo templo na região do ABC até outubro deste ano.

Crescimento

Levantamento da Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Estado de São Paulo (Arpen-SP) demonstra que 701 casamentos gays foram registrados na cidade no primeiro ano de vigência da norma que autoriza os cartórios a celebrarem matrimônios entre pessoas do mesmo sexo, desde março do ano passado.

Pesquisa feita em 58 cartórios da capital aponta que o mês de outubro é o preferido para as celebrações, com noventa uniões. Entre os cartórios que mais realizaram casamentos homoafetivos estão Cerqueira César (41 casos), Bela Vista (38), Tucuruvi (35), Santa Cecília (30) e Saúde (25).

Em maio de 2013, a normatização paulista foi reproduzida em todo o país pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que editou a resolução 175, autorizando todos os cartórios do Brasil a celebrarem casamentos homoafetivos.

Fonte: VEJA SÃO PAULO