Cidade

Casal de lésbicas afirma ter sido vítima de homofobia e agressão

Briga e insultos teriam ocorrido na noite de sábado (8) no acesso ao Terminal Sacomã

Por: Redação VEJASAOPAULO.COM

terminal sacomã
Terminal Sacomã, na Zona Sul de São Paulo (Foto: Reprodução)

Um casal de lésbicas e mais duas amigas afirmam ter sido vítimas de homofobia. De acordo com as mulheres, um homem teria deliberadamente passado a mão no corpo de uma delas, o que gerou uma discussão que acabou em insultos e agressão física. A briga teria ocorrido no último sábado (8), por volta das 21h, no Terminal Sacomã, Zona Sul de São Paulo.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, foram registrados dois boletins de ocorrência sobre o caso. As mulheres, cujas idades variam entre 22 e 24 anos, afirmam que depois de passar por elas na escada rolante do terminal, o homem - cujo nome não foi divulgado - teria encostado a mão em uma delas. Depois de ouvir as reclamações, em vez de pedir desculpas, ele começou a ofender o casal homossexual.

“Vocês são anormais, não sei o que vocês são”, disse o rapaz, de acordo com Aline Guimarães da Silva, 23 anos, que estava com a namorada, a irmã e mais uma amiga. “Ele me deu um soco no queixo e a minha namorada entrou na frente, aí a briga começou.”

Nicole Prestes, 23 anos, namorada de Aline, afirmou que as amigas também o agrediram. Ela conta que, depois de separado do grupo, ele foi levado por três pessoas que passavam pelo local para trás de um ônibus estacionado no terminal e lá apanhou por cerca de cinco minutos.

A segurança do terminal foi então acionada, e a polícia levou os envolvidos para o 26º DP, no Sacomã. O suposto agressor depôs primeiro, alegando ter sido chamado de “macaco” e “pedófilo” pelas mulheres. “Isso é um absurdo”, disse Aline. “Sou negra e todas nós somos maiores de idade.”

Por um problema no sistema, ainda segundo as amigas, elas tiveram de ir ao 78º DP, nos Jardins, para fazer o seu boletim de ocorrência. Lá, registraram o caso como “importunação ofensiva ao pudor e lesão corporal”.

Em seu depoimento à polícia, o homem negou as acusações e disse ter sido agredido por várias pessoas. Ele não foi encontrado pela reportagem para esclarecer o ocorrido.

Fonte: VEJA SÃO PAULO