A Opinião do Leitor

Cartas sobre a edição 2194

Por: - Atualizado em

Capa 2194
(Foto: Veja São Paulo)

ASSUNTOS MAIS COMENTADOS

46%

Bichos

16%

As Boas Compras de Natal (capa)

8%

Contos do vigário

6%

Curso de noivos

24%

Outros

As Boas Compras de Natal

A reportagem ficou surpreendente (“Presentes com pedigree”, 8 de dezembro). Reviramos todas as páginas, cada uma com um tema. Estão muito benfeitas e elaboradas. Parabéns!

SANDRA NITTOLO

Contos do vigário

É incrível que, apesar de livros e reportagens que tornam públicos os mais velhos golpes, ainda existam pessoas que são enganadas (“Golpes que viraram história”, 8 de dezembro). Talvez seja porque vivemos num país onde os “espertos” estão sempre se dando bem e a impunidade impera. Parabéns a VEJA SÃO PAULO e ao autor do livro Os Contos e os Vigários, o professor e historiador José Augusto Dias Júnior. Nunca é demais alertar. Só entra em roubadas quem quer levar vantagem em tudo.

FRANCISCO RODRIGUES DE LIRA

O que a reportagem aborda são as chamadas técnicas de engenharia social, a arte da manipulação das pessoas através do medo, insegurança, compaixão ou outros sentimentos, de modo a fazê-las baixar a guarda e render-se ao que solicita o golpista.

ROBERTO BLATT

Bichos

Sou eternamente grata aos profissionais do Hospital Veterinário Sena Madureira (“Vida animal por um fio”, 8 de dezembro). Eu, meu marido Julio e meus cães Bob, Laika e Leslie ficamos lisonjeados de ver nossos médicos na revista e também de ler a reportagem. Parecia que estávamos lá no pronto-socorro novamente, de tão real.

JOANA QUEIROZ

Sou cliente do Hospital Veterinário Sena Madureira desde 1970 e pude conhecer sua fundadora e todos os veterinários que já passaram por lá. São profissionais brilhantes, que salvaram a vida de pelo menos oito dos meus doze amiguinhos! E, se cada gato tem sete vidas, façam o cálculo de quão grata sou a esses excelentes médicos.

MARIA DE LOURDES SANTANA

Há alguns meses, eu levei minha cachorrinha ao Hospital Sena Madureira, num fim de semana. Deixei lá uma fortuna, com consultas e exames, e ela não melhorou. Na segunda-feira, ao levá-la à sua veterinária, foi constatado um problema com carrapato, resolvido apenas com uma injeção anti-hemorrágica. O referido hospital esvazia seus bolsos e não resolve o problema.

MARIA APARECIDA GODOI

Acompanhar a rotina de um hospital veterinário como o Sena Madureira no plantão noturno e relatar essa experiência com tamanha nobreza não é para qualquer um. Nunca encontrei tanta paixão, dedicação e competência como nesse lugar. Agradeço muito tudo o que fizeram pela Kika (minha vira-lata de 18 anos) e continuam fazendo pelo Floques (poodle de 8 anos).

MARIA CECILIA DE OLIVEIRA

A reportagem foi extremamente valiosa para mostrar à população a verdadeira importância dos médicos-veterinários de pequenos animais, assim como o esforço desses profissionais para salvar a vida de cães e gatos que tanto significam para seus donos. Chamamos também a atenção dos proprietários de animais para que sempre procurem clínicas e hospitais veterinários com registro no Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo (CRMV-SP). A consulta pode ser feita pelo site www. crmvsp.org.br.

FRANCISCO CAVALCANTI DE ALMEIDA - Presidente do CRMV-SP

Terraço Paulistano

Eliana Tranchesi é guerreira (“Daslu temporária na Oscar Freire”, 8 de dezembro). Ela é sinônimo de bom gosto e criatividade, além de ter se mostrado um ser humano da melhor qualidade, que nunca se deixa abater. Eliana é gente que faz.

DIRCE VINHA

Curso de noivos

Não foi surpresa para mim, paciente do ginecologista Paulo Fernando Veinert, ler a forma como ele iniciou sua explanação (“Aula antes do ‘sim’”, 8 de dezembro). Além desse bom humor constante e de sua imensa capacidade, é uma das pessoas mais humanas que tive o prazer de conhecer. Já passei com ele por inúmeras situações, tanto alegres como preocupantes: a notícia de que a gravidez da minha nora corria sem problemas (minha neta hoje tem 7 anos) e a de um câncer de mama, do qual tive o privilégio de ser operada por ele. Fui aluna do doutor Veinert no colégio — até hoje todos os ex-alunos com os quais mantenho contato são unânimes em referir-se a ele como “o cara”. Paulão, como carinhosamente o chamamos, está sempre disponível quando algum de nós precisa dos seus cuidados ou conselhos. Para mim, é como os médicos da minha infância: carinhoso, atento e muito competente.

ELIANA SPINELLI LUCIANO

Sobre a reportagem em que a jornalista menciona a presença de um ginecologista no curso de noivos católicos, explicando sobre métodos anticoncepcionais, gostaria de fazer uma pergunta: e quanto à orientação do papa (tão intransigente) e à posição formal da Igreja contra os métodos anticoncepcionais artificiais? Eu não entendo mais nada!

MARISTELA RIBEIRO

Walcyr Carrasco

O cronista criticou de modo simples e elegante o uso de pinheiros verdadeiros (“Árvore de Natal”, 1º de dezembro). Sem fazer drama, ele nos convence a evitar essa destruição inútil. Eu acrescentaria ainda dois argumentos contra a planta viva: as inevitáveis manchas no piso ou no tapete e a dor que dá ao dispensá-la.

SANDRA PEREIRA

Memória

Na reportagem sobre a reinauguração da Casa Guilherme de Almeida (“Recanto da poesia”, 1º de dezembro), o diretor, Marcelo Tápia, esqueceu- se de dizer que os recursos para manter viva a instituição vêm do orçamento da Secretaria de Estado da Cultura, bem como o investimento na obra de modernização do imóvel e no trabalho de recuperação do acervo. A Poiesis é uma das dezenove organizações sociais que têm como função apenas executar políticas públicas do governo de São Paulo na área da cultura.

ANDREA MATARAZZO - Secretário de Estado da Cultura

Shows

“Lindo Balão Azul” não foi gravado pelo grupo infantil Balão Mágico (“O brega na voz do ruivo”, 1º de dezembro). De Guilherme Arantes, a canção faz parte da trilha sonora do musical infantil “Pirlimpimpim”, da Rede Globo, com os personagens do “Sítio do Pica-Pau Amarelo” interpretados por Baby Consuelo (Emília), Bebel Gilberto (Narizinho), Moraes Moreira (Visconde de Sabugosa) e Ricardo Graça Mello (Pedrinho).

RENATA DE NORONHA

ESCREVA PARA NÓS

E-mail: vejasp@abril.com.br

Fax: (11) 3037-2022

Cartas: Caixa Postal 14110,

CEP 05425-902, São Paulo, SP

As mensagens devem trazer a assinatura, o endereço, o número da cédula de identidade e o telefone do remetente. Envie para Diretor de Redação, VEJA SÃO PAULO. Por motivos de espaço ou clareza, as cartas poderão ser publicadas resumidamente

Atendimento ao leitor: (11) 3037-2541

Sobre assinaturas: (11) 5087-2112

Atenção: ninguém está autorizado a solicitar objetos em lojas nem a fazer refeições em nome da revista a pretexto de produzir reportagens para qualquer seção de VEJA SÃO PAULO

Fonte: VEJA SÃO PAULO