A opinião do Leitor

Cartas sobre a edição 2184

Por: - Atualizado em

capa 2184
(Foto: Veja São Paulo)

ASSUNTOS MAIS COMENTADOS

35%

Ivan Angelo

8%

Eleições (capa)             

4%

Clubes de descontos

2%

Caminhões no Morumbi

51%

Outros

Eleições

Os candidatos ao governo do estado são muito modestos quando falam em infraestrutura (“Quem vai ocupar este gabinete?”, 29 de setembro). São Paulo não precisa de 60 quilômetros de metrô. O necessário — e urgente — é multiplicar por dez a rede atual e concluir o Rodoanel fazendo o possível para reduzir o impacto ambiental. O que a capital não precisa é de circos na forma de estádios de futebol ou de trem-bala.

ANTONIO CAVALCANTI DA MATTA RIBEIRO

Caminhões no Morumbi

Sou moradora do Morumbi há três anos e posso dizer que, se a coisa já não andava boa, agora está ainda pior (“E não é que sobrou para o Morumbi?”, 29 de setembro). Dormir por aqui passou a ser um desafio. Caminhões transitam durante toda a madrugada nas ruas Nelson Gama de Oliveira e Aureliano Guimarães e usam buzina às 5 da manhã. Ao mesmo tempo, os lançamentos de imóveis não param. Só quero saber como as pessoas vão sair do bairro daqui a alguns anos.

CECÍLIA POSADA

Clubes de descontos

Muito oportuna a reportagem “Loucas por descontos” (29 de setembro). Faço parte desse grupo de mulheres e participo de vários clubes de descontos. Mal abro minha caixa de e-mails, já vou conferir oferta por oferta. Aproveito muitas, confesso, e também já ouvi reclamações por parte do meu marido. Mas há que deixar claro que tal hábito também tem lá suas complicações. Já tive problema com um dos sites citados no texto. As regras de uso do cupom promocional não estavam claras. Hoje alerto todos os meus amigos sobre esse inconveniente. Muito cuidado, pesquisem bem, liguem antes aos estabelecimentos, porque, uma vez efetuada a compra, será muito difícil reclamar.

LARISSA PAGANINI DAVID

Ivan Angelo

Discutimos o texto de Ivan Angelo “O lixo é nosso” (29 de setembro) em sala de aula. Gostamos muito da crônica, pois estamos trabalhando a sustentabilidade em nossa classe desde o começo do ano. Sabemos que o mais difícil para tal aprendizagem é o cuidado com o nosso próprio lixo. Participamos de uma palestra sobre reciclagem recentemente. Foi um encontro bastante gostoso. Lá, aprendemos de onde vem a matéria-prima das embalagens e de muitas outras coisas também. Descobrimos que podemos reaproveitar e reconstruir objetos ou mesmo construir brinquedos com materiais do lixo inorgânico. Foi gostoso ouvir uma história sobre customização de gravatas feita pela mãe da nossa professora. Customizar roupas é possível e divertido! Em nossa escola, os alunos já estão acostumados a pegar, usar e jogar o seu próprio lixo em lugares destinados à reciclagem. Isto é, não largar. Se essas pequenas ações cidadãs forem efetivas, no futuro teremos um país melhor, com mais qualidade de vida. Nós somos agentes multiplicadores mirins de grandes saberes. Passamos nosso aprendizado aos familiares e vizinhos. Pode parecer pouco, mas ações de pessoas pequenas serão ações de grandes pessoas no futuro. Somos atuantes do bem, num planeta chamado Terra.

DANIELA RAZUK CONTREIRA, professora do 3º ano C do ensino fundamental da Escola Estadual Professor Doutor Carlos Araújo Pimentel

Sou professora de português para estrangeiros e costumo usar as crônicas de VEJA SÃO PAULO em minhas aulas. A última foi especial. Como eu nunca tinha visto o problema por este lado? Um “simples” carroceiro é um homem muito útil para a nossa sociedade. Tive vontade de fazer várias cópias do texto e sair pela cidade entregando-as a cada carroceiro, para que eles se sintam importantes e possam ter um dia mais feliz. Muito obrigada por abrir os meus olhos para isso. Sou uma pessoa que sempre observa os pedintes, as crianças na rua, os vendedores ambulantes, mas, no carroceiro, eu nunca havia parado para pensar. Parabéns pelo seu maravilhoso dom de escrever e saber passar suas ideias de maneira tão clara e que toca o coração das pessoas.

MADALDA BOSELLI

Eu já fui de buzinar e distribuir xingamentos aos carroceiros, mas, de um tempo para cá, notei que, apesar do trabalho árduo e extremamente mal remunerado, os catadores de entulhos e lixo reciclável com suas carrocinhas são extremamente necessários e só fazem bem para esta cidade suja chamada São Paulo. Acho que a crônica desta semana foi muito importante. Creio que, agora, os leitores vão, pelo menos, olhar essas pessoas com mais respeito e educação.

VAGNER LORENCETTI

Maravilhosa a crônica desta semana. Ela despertou uma consciência que eu não tinha com relação ao carroceiro. Na verdade, o texto foi um tapa na cara dos arrogantes, daqueles que emporcalham esta cidade tão desprezada pelos seus moradores e governantes.

FRINEIA ANTUNES DA SILVA

Fiquei tão sensibilizado com sua coluna que resolvi traduzi-la para o alemão, a fim de disponibilizar o conteúdo aos meus parentes e amigos na Suíça, na Alemanha e nos Estados Unidos. Isso porque acredito que o assunto é altamente importante, e não interessa somente aos paulistanos.

HANS-RUDOLF ZOLLINGER 

ESCREVA PARA NÓS E-mail: vejasp@abril.com.br

Fax: (11) 3037-2022

Cartas: Caixa Postal 14110,

CEP 05425-902, São Paulo, SP

As mensagens devem trazer a assinatura, o endereço, o número da cédula de identidade e o telefone do remetente. Envie para Diretor de Redação, VEJA SÃO PAULO. Por motivos de espaço ou clareza, as cartas poderão ser publicadas resumidamente

Atendimento ao leitor: (11) 3037-2541

Sobre assinaturas: (11) 5087-2112

Atenção: ninguém está autorizado a solicitar objetos em lojas nem a fazer refeições em nome da revista a pretexto de produzir reportagens para qualquer seção de VEJA SÃO PAULO

Fonte: VEJA SÃO PAULO