A opinião do leitor

Cartas sobre a edição 2149

- Atualizado em

Capa_2149_rec
(Foto: Veja São Paulo)

ASSUNTOS MAIS COMENTADOS

Walcyr Carrasco                            30%

Roteiro da Semana                      20%

Especial de aniversário (capa)  15%

Terraço Paulistano                         5%

Bancas                                              5%

Metas                                                 5%

Outros                                              20%

Especial de aniversário

Perdoem-me pelo lugar-comum, mas o texto “Quando eles descobriram São Paulo” (27 de janeiro) foi, de fato, um presente para todos nós, leitores. A nostalgia de personalidades, as fotos memoráveis e o registro de suas emoções remexeram com nossas próprias lembranças, aquelas bem guardadas lá no íntimo. Dizem que o paulistano sabe viver em meio ao caos. A verdade é que aprendemos a amar esta cidade que continua a desafiar os que aqui chegam. “Non ducor, duco”, ou seja, “Não sou conduzido, conduzo”, não é o que estampa a bandeira do nosso estado?

JOSÉ MARIA CANCELLIERO

É fácil gente famosa que frequenta os melhores lugares falar bem da cidade. Vim para São Paulo nos anos 60. Era maravilhosa, no verdadeiro sentido da palavra. Gentil, hospitaleira, terra de oportunidades. Hoje, aos 62 anos, meu maior sonho é ir embora daqui.

SERGIO NEWTON DE MELLO

Metas

A revista VEJA SÃO PAULO prestou um grande serviço com essa reportagem sobre a lista de metas da prefeitura, principalmente mostrando o que está sendo realizado (“Agora dá para cobrar as promessas”, 27 de janeiro). É o tipo de exercício que nós, contribuintes, eleitores e vítimas da má gestão pública, deveríamos fazer frequentemente, em vez de ficar reclamando.

THIAGO ILDEU LIRA

Gostaria de comentar a meta de construir 89,5 quilômetros de ciclovias, totalizando 100 quilômetros espalhados pela cidade. O trecho que vai de Itaquera ao Tatuapé, que compreende 14,5 quilômetros, encontra-se inacabado entre as estações de metrô Vila Matilde e Penha, representando perigo aos usuários. Somos obrigados a nos arriscar na travessia da confluência entre a Radial Leste e a Avenida Alvinópolis. Não poderia deixar passar também minha indignação com a sujeira espalhada pelo percurso: um desrespeito à natureza e ao morador da Zona Leste da cidade.

WALTER SATO

Terraço Paulistano

Em respeito aos seus parceiros de negócio e em linha com sua tradição por transparência nas informações, a Unilever reafirma que a empresa e seus executivos desconhecem a ação citada pela revista na nota “Pegue seu banquinho e saia de mansinho” (27 de janeiro) e não teve envolvimento no episódio da expulsão de manicures do evento São Paulo Fashion Week. CECILIA CONTE

Unilever Brasil

Rockabilly

Fico contente em ver a imprensa dando destaque à cena rockabilly, como fez na reportagem “Topetes em alta” (27 de janeiro). O estilo rocker sempre esteve presente, seja em São Paulo, seja no interior e mesmo em outros estados. Cada vez mais, conseguimos algum destaque não só pela eterna reciclagem do estilo retrô, mas pelo nosso mérito de resistentes do verdadeiro e puro rock.

GIOVANNI DIXIE

Walcyr Carrasco

Não se sinta só nessa saudade, Walcyr (“Vida de escritor”, 27 de janeiro). Os personagens da sua última novela entraram todos os dias em nossa casa. Sorrimos, torcemos e choramos durante os capítulos que você tão bem escrevia. Esteja certo de que quando olhamos a palavra “fim” escrita na telinha demos um tchau como se os personagens pudessem nos ver.

SISI VENTURA

Achei muito interessante o ponto de vista da crônica. Quando vejo meus trabalhos fotográficos, sinto também saudade das pessoas, dos lugares aonde fui, e toda uma corrente de lembranças vem à cabeça provocada por cada imagem. Achava que isso seria um tipo de fraqueza ou problema que pudesse prejudicar meu trabalho, mas não. Descobri que se trata de paixão pelo ofício mesmo.

RODRIGO MOREIRA

Walcyr, também sentirei saudade da novela Caras & Bocas. Restou um tremendo vazio pelo fim do contato diário com aqueles personagens deliciosos. Estou torcendo para que você volte quanto antes a nos presentear com novos personagens e nova trama.

MARIA LÚCIA DE ALMEIDA LEITE

ESCREVA PARA NÓS

E-mail: vejasp@abril.com.br

Fax: ☎ (11) 3037-2022

Cartas: Caixa Postal 14110,

CEP 05425-902, São Paulo, SP

As mensagens devem trazer a assinatura, o endereço, o número da cédula de identidade e o telefone do remetente. Envie para Diretor de Redação, VEJA SÃO PAULO. Por motivos de espaço ou clareza, as cartas poderão ser publicadas resumidamente

Atendimento ao leitor: ☎ (11) 3037-2541

Sobre assinaturas: ☎ (11) 5087-2112

Atenção: ninguém está autorizado a solicitar objetos em lojas nem a fazer refeições em nome da revista a pretexto de produzir reportagens para qualquer seção de VEJA SÃO PAULO.

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO