A Opinião do Leitor

Cartas sobre a edição 2145

- Atualizado em

Cartas sobre a edição 2145_capa recortada
(Foto: Veja São Paulo)

ASSUNTOS MAIS COMENTADOS

Walcyr Carrasco                      50%

O melhor e o pior de 2009    34%

Doutor em diversão (capa)     6%

Outros                                       10%

Doutor em diversão

A belíssima reportagem de VEJA SÃO PAULO conseguiu expressar muito bem a personalidade desse homem, com quem tenho o prazer de conviver há mais de uma década (“37 brinquedos por minuto”, 30 de dezembro). Exemplo de administrador e de ser humano, Ricardo Sayon conquistou o mercado e o respeito de todos os que se relacionam com ele.

RICARDO JACOB

Trabalhei alguns meses na Ri Happy do Guarujá e tive a oportunidade de conhecer o doutor Ricardo. Além de se preocupar com as crianças, ele reconhece e valoriza os funcionários. O ambiente de trabalho mistura divertimento e responsabilidade. Adorei a reportagem!

RENATA PAULA DE MORAES

Melhores e piores do ano

Sou fã incondicional de heavy metal, mas não um radical que não aceita críticas ao estilo. O repórter Pedro Ivo Dubra demonstrou não conhecer o Iron Maiden (“O melhor e o pior de 2009”, 30 de dezembro). O show abordou um período marcante da banda. Por isso, é descabida a classificação de “som antiquado”.

EDISON GANDOLFI

Realmente, a empresa organizadora do show do Iron Maiden pecou. Agora, dizer que o que surgiu no palco não compensou o esforço? O excelentíssimo redator deve estar acostumado a escrever sobre música sertaneja, forró e axé, porque não entende nada de heavy metal.

LUIZ FELIPE CESAR VILLAC

O Iron Maiden é aquilo que o crítico viu. E era isso que as 70 000 pessoas presentes esperavam.

GILBERTO PINTO

Venho fazer uma reclamação muito dolorosa, pois um jornalista desinformado conseguiu me irritar. O melhor show do ano não foi o do Radiohead, mas sim o do AC/DC. Mais grave ainda foi classificar o Iron Maiden como o pior.

DANILO CEZAR LOPES SALCO

Discordo da afirmação de que a voz do tenor Andrea Bocelli seja limitada. Infelizmente, a organização do show subestimou o número de fãs do cantor, deixando muitos a ouvir sons de helicóptero de um canal de televisão e gritos de vendedores de capas de chuva.

ULISSES ANTONIO RAIMUNDINI

O único momento negativo e brega da apresentação de Andrea Bocelli foi a presença de Ivete Sangalo.

MARIA EUNICE DA SILVA

Gosto é gosto, opinião é opinião. Enquanto VEJA SÃO PAULO classificou a exposição Panorama, no MAM, como a pior do ano, a revista americana Artforum a elegeu uma das dez mais importantes de 2009.

ANNA BEATRIZ GARCIA

Walcyr Carrasco

Fiquei comovida com a crônica “O Natal solitário” (30 de dezembro). Senti a tristeza de sua solidão. Espero, do fundo do coração, que isso nunca se repita em sua vida.

ELIANA FERRARA

Todo Natal, chega à minha casa alguém que estava sozinho. A partir daí, vira integrante da família para os fins de ano seguintes. FATIMA TREVISAN CARRILHO O que é realmente muito triste para mim é que os Natais nunca mais serão como os da infância. A gente cresce e começa a saber das brigas da família, algumas pessoas passam a não ir mais e o Natal perde a magia. Pelo menos para mim, foi assim.

ROSELY GOMES COSTA

Fui criada com mesa farta, árvore de Natal, presépio, comidinhas para Papai Noel e muita alegria. Acredito que todos temos direito a algo assim no Natal.

MARGARIDA MARQUES

Sozinha em vários Natais, fiquei com a garganta apertada ao ler a crônica.

EUNICE MENDES

Cinemas

A reportagem “À espera de um final feliz” (23 de dezembro) retrata com fidelidade o abandono das salas de cinema do centro. Só a superação da indigência cultural e educacional poderá alterar o comportamento dos governantes que prometem mudanças mas acabam por se render ao profundo sono do descaso.

JOSÉ MARIA CANCELLIERO

ESCREVA PARA NÓS

E-mail: vejasp@abril.com.br

Fax: ☎ (11) 3037-2022

Cartas: Caixa Postal 14110,

CEP 05425-902, São Paulo, SP

As mensagens devem trazer a assinatura, o endereço, o número da cédula de identidade e o telefone do remetente. Envie para Diretor de Redação, VEJA SÃO PAULO. Por motivos de espaço ou clareza, as cartas poderão ser publicadas resumidamente

Atendimento ao leitor: ☎ (11) 3037-2541

Sobre assinaturas: ☎ (11) 5087-2112

Atenção: ninguém está autorizado a solicitar objetos em lojas nem a fazer refeições em nome da revista a pretexto de produzir reportagens para qualquer seção de VEJA SÃO PAULO.

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO