OPINIÃO DO LEITOR

Cartas da edição 2461

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

VEJASP-2460-1-ED
(Foto: )

› Capa

Muito interessante a reportagem “7 erros que acabam com a promessa de emagrecer no ano novo (e os conselhosdos especialistas sobre como evitá-los)” (13 de janeiro). Dieta não deve ser aplicada só por um mês. Envolve deixar para trás velhos hábitos. Márcia Pinheiro

Excelente a capa desta semana. Ela me ajudou a buscar ainda mais motivação nessa mudança de comportamento. Lune Ramos

Para mim, toda segunda-feira é como um começo de ano quando se trata do objetivo permanente de tentar emagrecer. Acho que perder peso é tão difícil quanto ganhar dinheiro. É preciso agir com muito foco, conhecimento e força de vontade por tempo indeterminado. E, depois de atingida a meta, saber manter o que se conquistou. Se fosse fácil, todo mundo seria rico e magro. Mônica Delfraro David

 

› Carnaval

Eu curto a festa de rua da Vila Madalena e do resto da capital, mas é preciso que haja bom- enso (“Vai dar samba a política da ordem?”,13 de janeiro). Isso significa uma folias em brigas, sujeiras nem depredação de residências. E eu vou curtir mais uma vez neste ano. Sai para lá, mau humor! Fabi Nunes

Moro na Vila Madalena, e é inacreditável o efeito negativo dessas invasões de público durante as festas. Pura terra arrasada. Nenhum bairro tem estrutura, eles não servem para isso, foram criados para morar. Bolívar Silva

O evento é só bagunça. Quem aguenta?Já tem o sambódromo, agora ainda querem fazer baderna na rua. Diego de Lima

O país está uma desgraça e ainda tem gente pensando em pular o Carnaval? Pão e circo para o povo! Giovana Demartini

 

› Restaurantes

O ano começou muito bem após a leitura da ótima crítica sobre o restaurante Rive Gauche publicada nas páginas de VEJA SÃO PAULO (“Às margens do Pinheiros”, 6 de janeiro). Para nós, é sempre muito importante ter o reconhecimento da revista. Ida Maria Frank, do Restauratrice do Rive Gauche

 

› Matthew Shirts

Depois que li sua crônica, não tive dúvida de que precisava lhe escrever de volta (“O hot-dog vegano”, 13 de janeiro).Confesso que fiquei apreensiva quando dei a primeira olhada no título. Pensei: “Lá vem mais uma piadinha sobre comedores de mato ou assassinos de alface”. Mas amei seu texto. Nós, veganos, somos hostilizados diariamente por causa das nossas escolhas, e às vezes é difícil levar na esportiva. E, quando uma pessoa pública endossa algo do nosso mundo, trata-se de uma vitória. Muito obrigada, você não imagina como isso é importante para todos nós. Paula Maria

Fonte: VEJA SÃO PAULO