A Opinião do Leitor

Cartas sobre a edição 2345

Por: Redação VEJASÃOPAULO.COM

Bem na foto
(Foto: VEJA SÃO PAULO)

Capa

São Paulo é a capital das grandes exposições (“Uma cidade sob as lentes”, 30 de outubro). E quando essas mostras são de fotografia a importância torna-se maior. Graças a elas, temos registros de nossa história, cultura e de um tempo que não volta mais. Ruvin Ber José Singal

Urbanismo

Estou abismada com esse projeto do Largo da Batata (“O futuro maravilhoso... e a dura realidade”, 30 de outubro) e mais ainda com sua execução.O plano original já possuía poucas áreas verdes, mas o resultado final ficou uma vergonha. Eu tinha alta expectativa em relação a esse espaço urbano e estou totalmente desapontada. Daniela Cardoso Laudares Pereira

Caminhar do Largo da Batata até a Avenida Pedroso de Morais é uma vergonha. Calçadas inacabadas, praças incompletas, uma desgraça para a atual administração. Já estou começando a questionar o meu voto. Luiz Augusto Gomes

Veterinários

Parabéns pela reportagem “Veterinários tecnológicos” (30 de outubro). Depois da discussão das últimas semanas sobre a importância de cuidar dos animais, foi fundamental abordar os tratamentos existentes. Fiquei ainda mais emocionada de ver o Sena Madureira, meu hospital do coração, com uma maravilhosa equipe de profissionais. Mariana Galvão

Mistérios

As manifestações recentes (“A voz das ruas”, 30 de outubro) dessa tropa de máscaras negras não deixam tijolo sobre tijolo. E o quase linchamento do coronel Rossi evidencia que o pior está por vir. Algo precisa ser feito, a sociedade está aterrorizada. Rubem Prado Hoffmann Júnior

Beleza

Certas modas são ridículas, mas essa do coque rosquinha é legal (“Princesa express”, 30 de outubro). E a página da revista ficou maravilhosa com uma foto de minha diva, Fernanda Vasconcelos. Antonio José Gomes Marques

Ivan Angelo

Notei certa tristeza na crônica “Notícias da vizinhança” (30 de outubro). Eu também fico indignada com a falta de interesse pelos belos casarões de São Paulo. Não existe o hábito de conservar lindas construções do passado, e a cidade perde muito de sua história. É mais fácil viajar ao exterior e admirar as cidades antigas de lá, com placas nas casas lembrando quem já viveu ali. Ivan Angelo vê detalhes, percebe absurdos como os postes no meio da ciclovia. É um observador. Obrigada pelas belas crônicas. Gerda Nageli

Que sorte a sua de a feira acabar às13 horas e a prefeitura lavar a via às18 horas. Aqui na Rua Indiana, noBrooklin, a feira começa a ser desmontadaàs 15, mas, às 17 horas, ainda existembarracas instaladas e a prefeiturasó limpa o local às 20 horas. Luisa Esteves

Matthew Shirts

Li sua crônica “Romance paulistano” (16 de outubro) e quero lhe agradecer. A obra citada no texto é realmente ótima, pena que não esteja à disposição nas livrarias. Liguei para a editora e, no dia seguinte, o título me foi entregue por 43 reais, preço mais do que justo. Gosto muito de ler, mas ainda não atingi o meu objetivo: devorar 36 livros em um ano. Em 2011 quase cheguei aos 32. Em 2013 ando devagar, só estou com dezenove. Leio todos os dias e sua recomendação foi sensacional. Sergio Castanho Fernandes

ESCREVA PARA NÓS

E-mail: vejasp@abril.com.br

As mensagens devem trazer a assinatura, o endereço, o número da cédula de identidade e o telefone do remetente. Envie para Diretor de Redação, VEJA SÃO PAULO. Por motivos de espaço ou clareza, as cartas poderão ser publicadas resumidamente.

Redes sociais: facebook.com/vejasp e @vejasp (twitter)

Atendimento ao leitor: (11) 3037-2541

Sobre assinaturas: (11) 5087-2112

Atenção: ninguém está autorizado a solicitar objetos em lojas nem a fazer refeições em nome da revista a pretexto de produzir reportagens para qualquer seção de VEJA SÃO PAULO.

Fonte: VEJA SÃO PAULO