A opinião do leitor

As cartas da edição 2307

Por: - Atualizado em

Elas fazem a alegria da garotada
Elas fazem a alegria da garotada (Foto: VEJA SÃO PAULO)

ASSUNTOS MAIS COMENTADOS

Cidade: 22%

Pit bull: 18%

Drogas: 14%

Instagram: 14%

Outros: 32%

 

Teatro

Hoje, os pais não se preocupam somente com a qualidade da educação e com a saúde de seus filhos, mas também com a diversão. Carla Candiotto e Alexandra Golik encontraram um nicho e desenvolveram com maestria sua arte (“Um show para a garotada”, 6 de fevereiro). É notório que entretenimento infantil de qualidade virou assunto de gente grande.

Carmen Dragone

 

Cidade

A tragédia de Santa Maria mobilizou prefeituras de todo o país (“Antes queo horror aconteça de novo”, 6 de fevereiro). Os fiscais de São Paulo entraram em ação e já encontraram irregularidades em vários estabelecimentos. Por que só agora começaram a fazer o óbvio?

Robson Sant'Anna

 

Espero que as autoridades tomem todas as devidas providências para que uma tragédia como essa da boate Kiss, em Santa Maria, não se repita. Que Deus dê paz aos familiares das vítimas para que eles consigam seguir sem seus entes queridos.

Milton Franncisco

 

Depois do acidente no Rio Grande do Sul, era de esperar todo esse movimento das autoridades. Está correta a caça aos endereços com funcionamento irregular. Porém, não é só isso. Entrem no shopping da Rua 25 de Março e descubram por que o considero uma bomba-relógio prestes a explodir. Mais uma vez nosso poder fiscalizador está tapando o sol com a peneira. Por que será?

Paulo Cezar Ximenes

 

Perfil

Por treze anos trabalhei no Edifício Itália (“No topo da carreira”, 6 de fevereiro). Vocês descrevem bem a figura do Seu Albertino, um profissional discreto e competente. Voltei ao prédio depois de dez anos fora. Estava aguardando o elevador quando ele veio me cumprimentar e... lembrava meu nome! É exemplo de vida e de sindicato ou na academia: Sindicatodo Chope e Academia da Cachaça.

Sérgio Torres

 

Drogas

Gostaria de cumprimentar a revista pela excelente reportagem sobre a recuperação de dependentes do crack (“Retratos do desespero, 30 de janeiro). Os jornalistas Mariana Barros e João Batista Jr. registraram, de maneira direta, a dor dessas mulheres. Elas merecem nosso respeito pela coragem de expor seu sofrimento.

Andrea Matarazzo, vereador

 

Instagram

Como leitora assídua da revista, gosto muito de ver as imagens da semana da seção vejasaopaulo.com no Instagram (“São Paulo, 459 anos: abrace a cidade”, 30 de janeiro). Sou fã das fotos e sempre fico curiosa para saber qual será a próxima missão. Mas não pude deixar de notar que um dos destaques recentes posou no Monumento às Bandeiras. Por que escalar essa obra de arte? Que péssimo exemplo de cidadania!

Valéria Gianninio

 

Monumento às Bandeiras não é playground, não deve ser escalado.

Luciana Monteiro

 

ESCREVA PARA NÓS

E-mail: vejasp@abril.com.br

Cartas: Caixa Postal 14110, CEP 05425-902, São Paulo, SP

As mensagens devem trazer a assinatura, o endereço, o número da cédula de identidade e o telefone do remetente. Envie para Diretor de Redação, VEJA SÃO PAULO. Por motivos de espaço ou clareza, as cartas poderão ser publicadas resumidamente.

Atendimento ao leitor: tel. (11) 3037-2541

Sobre assinaturas: tel. (11) 5087-2112

Atenção: ninguém está autorizado a solicitar objetos em lojas nem a fazer refeições em nome da revista a pretexto de produzir reportagens para qualquer seção de VEJA SÃO PAULO.

Fonte: VEJA SÃO PAULO