A opinião do leitor

Cartas sobre a edição 2301

Por: Redação VEJA SÃO PAULO

Paulistanos nota 10
Paulistanos nota 10: capa da edição 2301 (Foto: VEJA SÃO PAULO)

ASSUNTOS MAIS COMENTADOS

Matthew Shirts: 56%

Paulistanos nota 10 (capa): 17%

Corinthians: 10%

Ivan Angelo: 9%

Outros: 8%

 

Paulistanos nota 10

Belíssima a reportagem de capa “Dez paulistanos nota 10” (26 dedezembro). Em meio a tantos problemas, ainda há esperança e pessoas com bom coração, que doam seu tempo e carinho tentando transformar outras vidas.

LUCIANA MIRANDA

São pessoas assim que resolvem efetivamenteos problemas, sejam eles de alguns, sejam de uma maioria. É preciso haver entrega total, isto é, pôr a mão na massa! Isso, sim, é bonito.

ROSE BAROLLO SFORCIN

A reportagem sobre os dez paulistanos que, com ações simples, lutam para buscar soluções de problemas em relação à limpeza urbana, à área educacional, à saúde e à cultura, entre outros, merece realment emuito destaque. Quem sabe as várias comunidades espalhadas pela cidade se sintam estimuladas a adota rum comportamento coletivo semelhante. Assim se constrói a cidade para uma vida melhor. Quando todos participam, os resultados aparecem mais depressa.

URIEL VILLAS BOAS

É muito legal ver pessoas doando seu tempo e se dedicando aos mais necessitados e carentes. Acredito que esse seja o verdadeiro espírito do Natal, espírito que deveria s eprolongar pelo ano todo, e não durar apenas no dia 25 de dezembro. Ajudar os outros é necessário e faz bem. Eu mesmo tenho procurado maneiras de colaborar, e devo iniciar minhas atividades em janeiro.Se já é muito bom ver pessoa spraticando o bem, vestir a camisa em prol de alguma causa ou ação é muito melhor. Como Cristo nos ensinou, é preciso fazer o bem sem olhar a quem. Mas, claro, aos mais necessitados em primeiro lugar.

ANTONIO JOSÉ MARQUES

 

Corinthians

Corinthians, que feliz 2012!!! Gostaria de parabenizar Marília Ruiz pela reportagem “Da segunda divisão ao topo do mundo” (26 de dezembro). Ela descreveu cientificamente o mecanismo “fisiopatológico” da ascensão do clube do inferno ao céu. Isso explica em boa parte a contaminação promovida pela poderosa torcida no Japão. Eu e muitos que ficamos no Brasil torcendo loucamente seremos eternamente gratos aos que foram até lá dar força ao time. Tite, Guerrero e os outros guerreiros no campo, me desculpem, mas os torcedores presentes ao estádio foram fundamentais para essa conquista.No fim ficou até injusto: o Chelsea deveria ter o jogo da volta em Londres, pois o Corinthians jogou em casa!

MARCELO BELLESSO

Não sou corintiano nem pretendo ser, mas a vitória do time, que conquistou o bicampeonato do Mundial de Clubes da Fifa, foi uma aula de futebol, jogado com galhardia e raça. Vitória mais que merecida, com destaque para a atuação do goleiro Cássio e o comando de Tite, que, com sua técnica, demonstrou que o Brasil ainda mantém viva a tradição de um futebol nota 10.

RUVIN BER JOSÉ SINGAL

 

Matthew Shirts

Matthew, que felicidade! Além de ser brindado com sua excelente crônica quinzenal (“Natal dos sonhos”, 26 dedezembro), fico sabendo de sua preferência pelo time do bando de loucos. Tive o prazer e a condição de estar em Yokohama no último dia 16 de dezembro para gritar “Vai, Corinthians!”. Depois de curtir toda a festa que acontecia no gramado e nas arquibancadas, apergunta que me veio à cabeça foi: paraque lado fica a Avenida Paulista? EmboraTóquio não tivesse uma avenidaassim para comemorarmos, a frente do estádio foi a nossa Paulista por algumas horas. Imagino como foi a festa aqui, do outro lado do mundo. Fico feliz em saber que você estava me representando juntamente com a sua família nessa comemoração de todos nós!

WANDERLEY AUGUSTO

 

Ivan Angelo

Que achado sua frase “o mar não é lugar de ficar, é um meio de chegar” (“Mar é um só”, 19 de dezembro). Parabéns! Se me permite, acrescentou ma frase minha: toda beleza do universo pode ser contida numa flor ou verso; o poder da palavra é tão grande que mar é monossilábico. Congratulações por seus textos sempre tão inspirados.

FRANCISCO GARCIA

 

ESCREVA PARA NÓS

E-mail: vejasp@abril.com.br

Cartas: Caixa Postal 14110, CEP 05425-902, São Paulo, SP

As mensagens devem trazer a assinatura ,o endereço, o número da cédula de identidade e o telefone do remetente. Envie para Diretor de Redação, VEJA SÃO PAULO. Por motivos de espaço ou clareza, as cartas poderão ser publicadas resumidamente

Atendimento ao leitor: (11) 3037-2541

Sobre assinaturas: (11) 5087-2112

Atenção: ninguém está autorizadoa solicitar objetos em lojas nem a fazerrefeições em nome da revista a pretexto de produzir reportagens para qualquer seção de VEJA SÃO PAULO

Fonte: VEJA SÃO PAULO