Opnião do leitor

Cartas da edição 2442

Por:

› Saúde

Sou nutricionista e fiquei feliz com a iniciativa da Vejinha de ressaltar estratégias adotadas por colégios da cidade na promoção de uma alimentação saudável (“Que nota daria para a lancheira de seu filho?”, 2 de setembro). Ainda deparo com abordagens bastante insensíveis de algumas escolas que não oferecem opções nem àqueles alunos com problemas de saúde. Renata Lewis

A Associação Brasileira de Laticínios — Viva Lácteos acha importante destacar que o queijo petit suisse é um produto lácteo, fonte de vitamina A e vitamina D. Entendemos que os responsáveis devem oferecer às crianças uma alimentação equilibrada de três porções de lácteos diversos por dia, sem exageros. Leandro MattosDiretor da ABL

O texto cobre bem alguns dos aspectos da lancheira e sugere opções para uma preparação rápida e prática. O artigo peca, no entanto, ao apresentar uma lista de alimentos “vetados”. No dia a dia, devemos buscar alternativas saudáveis, mas que possam combinar prazer, adesão das crianças e praticidade para os pais. Mauro Fisberg Coordenador do Centro de Nutrologia do Instituto Pensi

A responsabilidade maior de inserir a alimentação saudável na rotina das crianças é primeiramente dos pais. E é melhor que comecem bem cedo mesmo, porque depois é muito difícil tirar o vício da gordura, açúcar, sal e afins. Mônica Delfraro David

› Paulistano Nota Dez

A uma multa de 53,20 reais por estacionar em vaga de deficiente ninguém dá a mínima importância (Rodrigo Bottini, 2 de setembro). Quando começarem a rebocar os carros e a multar os proprietários em 2 000 reais, talvez os infratores comecem a pensar duas vezes... O bolso é uma excelente fonte de educação.                                 Luiz Francisco Schmidt 

› Bichos

Com relação à reportagem “Salvos da panela” (2 de setembro), é inconcebível a demora do frigorífico em agilizar a retirada dos animais acidentados. A concessionária, por sua vez, atrapalhada, não sabia por onde começar e só piorou a situação das vítimas, com tentativas infelizes e amadoras para desvirar a carreta tombada. Impressionantes o despreparo e a insensibilidade dessas pessoas para com os animais. Eduardo Pereira

Fonte: VEJA SÃO PAULO