A OPINIÃO DO LEITOR

Cartas da edição 2416

Por: VEJA SÂO PAULO

Capa - 2415
(Foto: Arte/Veja São Paulo)

› Tecnologia

Os aplicativos viraram mania de quem tem celular, e mais uma vez VEJA SÃO PAULO sai na frente e seleciona os cinquenta melhores para todos os gostos e segmentos (“Em busca do app perfeito”, 4 de março). Adorei a iniciativa. Ruvin Ber José Singal

› Transporte

Sobre a reportagem “Expansão em marcha lenta” (4 de março), o Metrô esclarece que está errada a informação de que o governo será obrigado a pagar uma multa de 100 milhões de reais caso o contrato seja rescindido. É o consórcio Corsan-Corvian que deverá pagar multa aos cofres do estado por não executar a obra, de até 10% do valor do contrato. Discordamos também do uso da expansão do metrô de Dubai como comparação com os trabalhos realizados em São Paulo. Além de se tratar de contextos díspares, a legislação que rege tais obras de infraestrutura nos dois países é diferente. O correto é comparar com o ritmo de expansão de qualquer obra de metrô feita em território nacional. Adele Claudia Nabhan Chefe do Departamento de Imprensa do Metrô

Mais um exemplo da ineficiência, da falta de planejamento e da incompetência dos nossos governantes. Ler que a Linha Amarela pode sofrer mais um adiamento (mais um!) por causa do possível rompimento do contrato é de chorar. Aí, quando um dia a obra finalmente é inaugurada, já está defasada e não alivia em nada a superlotação e os congestionamentos. A Linha Amarela, no trecho inaugurado, é um exemplo disso: tão pouco tempo de funcionamento e já superlotada. Alexandre Fontan

› Bichos

Somente quem passou pela perda de um grande amigo (cão ou gato) sabe que a dor maior é não ter como enterrá-lo (“A última homenagem”, 4 de março). Para fugir do absurdo cobrado pelas empresas, a única opção seria “descartar” o pet como “material infectante” no setor de zoonose municipal, onde é incinerado junto com lixo hospitalar, por exemplo, não importa o amor e o carinho dedicados a ele por anos. Antonio Sérgio Campos

Fiquei comovida e me identifiquei com a reportagem. Já passei três vezes pela dura situação da morte de um bichinho de estimação. Esse é sempre um momento muito difícil, quando geralmente estamos sozinhos para enfrentar a perda. Nem todas as pessoas compreendem (e muitas até desprezam) a relação tão próxima que temos com nossos “filhos” adotivos, às vezes até mais próxima do que com pessoas da própria família. Sara Besen

› Terraço Paulistano

Esse processo trabalhista da atriz Letícia Birkheuer contra seu ex-marido, o empresário Alexandre Furmanovich, não é justo (“Indenização matrimonial”, 4 de março). Se ela tem o direito de receber 800 000 reais pelo tempo que deixou de trabalhar durante o casamento, imaginem o que ele pode pedir por ter sustentado a bela e famosa esposa durante esse período. Abel Pires Rodrigues

› Matthew Shirts

Quero dar o braço a torcer a respeito de Matthew Shirts. Lembro-me bem de quando ele estreou na Vejinha: desdenhei de sua crônica e não gostei de seu estilo. Hoje, é exatamente o contrário: mal posso esperar pela publicação da coluna! Esse americano com alma de brasileiro conhece nossa cidade e seus encantos muito melhor do que grande parte dos paulistanos! Seu texto mais recente (“O pagador de promessas”, 4 de março) me fez rir do início ao fim. Adelson Smania

Escreva para nós

E-mail: vejasp@abril.com.br

As mensagens devem trazer a assinatura, o endereço, o número da cédula de identidade e o telefone do remetente. Envie para Diretor de Redação, VEJA São PAulo. Por motivos de espaço ou clareza, as cartas poderão ser publicadas resumidamente Redes sociais: facebook.com/vejasp e @vejasp (Twitter)

Atendimento ao leitor: ☎ (11) 3037-2541

Sobre assinaturas: ☎ (11) 5087-2112

Atenção: ninguém está autorizado a solicitar objetos em lojas nem a fazer refeições em nome da revista a pretexto de produzir reportagens para qualquer seção de VEJA SÃO PAULO

Fonte: VEJA SÃO PAULO