A Opinião do Leitor

Cartas da edição 2365

Por: Redação VEJA SÃO PAULO

Perdidos no labirinto
Perdidos no labirinto (Foto: VEJA SÃO PAULO)

› Trânsito

VEJA SÃO PAULO acertou em cheio. Nosso sistema viário de fato está falido (“Perdidos no labirinto”, 19 de março). De engenharia, a CET não tem nada. Quem vive no trânsito como eu se cansa de ver as barbaridades amadorísticas da intervenção desse órgão. Só sabe pedir para instalar semáforos sem analisar suas consequências. É vergonhoso. É uma incompetência que deveria ser punida. Armando Barbati Filho

Parabéns à revista pela reportagem de capa. Nós, moradores da Mooca, não entendemos a mudança de mão da Rua dos Trilhos entre a Rua Bresser e a Praça dos Industriários. Criou mais problemas do que soluções. Lucy Leia Furlan

Achei muito coerente e atual a reportagem, pois o crescimento da frota paulista corresponde a 19% se comparamos 2013 com 2008. No mesmo período, o número de vias para o escoamento não acompanhou esse aumento. Fica então estabelecido um grande imbróglio, pois estamos falando de um pé 42 para um sapato 38. Muito trabalho terão os técnicos da CET para colocar o trânsito de São Paulo nos eixos. Enquanto isso, os moradores desta cidade precisarão de muita paciência. Marcos Antonio Cavanilla

Realmente, a loucura da CET deu um nó no trânsito na Rua Heitor Penteado. O que mais chama atenção é que há um trânsito péssimo para os carros e um corredor de ônibus completamente vazio com pontos lotados à espera deles. Melhorou para quem? Débora Giannico

O nome da companhia deveria ser substituído para Companhia de Engarrafamentos eTrapalhadas. Alvaro Augusto Ricardino Filho

A CET contribuiria muito para o nosso já caótico trânsito se, simplesmente, não existisse. Ela consegue fazer obras e gastar nosso dinheiro de contribuintes para deixar o trânsito ainda pior. Lança novidades que, se estudasse minimamente as futuras práticas, jamais as poria em cena. Mas, para multar os motoristas já atordoados com tantos problemas, ela está lá. Henrique Golstein

Sou um contribuinte chato. Devo ter em torno de quarenta solicitações feitas no SAC da prefeitura de nossa cidade. Apenas duas não foram atendida se não recebi nenhum tipo de atenção. As duas são da... CET. Angelo Neves

› Educação

É extremamente revoltante ver como a USP está tratando alunos e professores da EACH, sem definição de data para a reabertura do câmpus (“O primo pobre da USP”, 19 de março). Os maiores prejudicados são os alunos, que veem seus objetivos ser adiados por incompetência e completo descaso dos responsáveis. Rita Ruschioni

› Paulistana Nota Dez

É impossível deixar de refletir e se emocionar lendo a seção Paulistana Nota Dez (19 de março). Parabéns, Karen Ribeiro. Quando dá suas aulas de balé clássico a meninas menos afortunadas, talvez você tenha refletida nos espelhos uma luzinha verde e brilhante, que poderíamos chamar de esperança. Bravo, professora! Maria Contrera

› Negócios

Eu não entendi o motivo de tanto furor com a inauguração da loja Forever 21 (“Moda importada”, 19 de março). Por esses preços e com a mesma qualidade das roupas, você encontra “Forever 21” em todas as lojas do Brás. Eliane de Pádua

› Ivan Angelo

Caro Ivan Angelo, que grande sensibilidade o senhor tem (“Águas de março”, 19 de março). Fez-me voltar ao tempo em que eu corria para a chuva e chegava ensopado em casa, e feliz. As suas crônicas são todas assim, fazem nos lembrar de que somos felizes e não sabemos. Manuel Lois

ESCREVA PARA NÓS

E-mail: vejasp@abril.com.br

As mensagens devem trazer a assinatura, o endereço, o número da cédula de identidade e o telefone do remetente. Envie para Diretor de Redação, VEJA SÃO PAULO. Por motivos de espaço ou clareza, as cartas poderão ser publicadas resumidamente.

Redes sociais: facebook.com/vejaspe @vejasp (twitter)

Atendimento ao leitor: ☎ (11) 3037-2541

Sobre assinaturas: ☎ (11) 5087-2112

Atenção: ninguém está autorizadoa solicitar objetos em lojas nem a fazer refeições em nome da revista a pretexto de produzir reportagens para qualquer seção de VEJA SÃO PAULO.

Fonte: VEJA SÃO PAULO