Mistérios da Cidade

Apenas 1,5% dos carros da cidade são reciclados

O restante dos automóveis acaba em desmananches e ferro-velhos

Por: Mauricio Xavier [Com reportagem de Lívia Roncolato, Nathalia Zaccaro e Silas Colombo]

Carros reciclados
O exterminador de carcaças: destruiu 1.500 automóveis nos últimos dois meses (Foto: Fernando Moraes)

Segundo o Sindicato do Comércio Atacadista de Sucata Ferrosa e Não Ferrosa do Estado de São Paulo, a capital recicla 1,5% de sua frota — o resto vai para desmanches. “Na Europa esse índice é de 95%”, diz Marcos Fonseca, dono da RFR Reciclagem (foto), de Guarulhos, que destruiu 1.500 automóveis nos últimos dois meses.

Ali, basta um minuto para um triturador transformar um carro em blocos do tamanho de maços de cigarros. Avaliada em 10 milhões de reais, a geringonça é uma das dez máquinas de reciclagem de veículos do país. Um projeto de lei federal pretende obrigar fabricantes e comerciantes a recolher os veículos após o uso pelo consumidor para dar um destino ambiental adequado.

+ O patrimônio de Ruy Ohtake

+ Imóveis: quanto mais quartos, melhor

+ Campeonato de pipas será no Parque do Tietê

Fonte: VEJA SÃO PAULO