Nacional

Carros apreendidos retornam para a casa de Eike Batista

O empresário recuperou os bens após desbloqueio determinado pela 3ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

Lamborghini
Lamborghini Aventador: carro retornou para a garagem do empresário Eike Batista nesta segunda (18) (Foto: Mauro Pimentel/Folhapress, FSP-PODER)

Com o retorno da Lamborghini Aventador, Eike Batista já mantém na garagem de sua casa todos os veículos que haviam sido apreendidos pela Polícia Federal em fevereiro. O guincho que transportou nessa segunda (18) o carro para a residência no Jardim Botânico, na Zona Sul do Rio de Janeiro, foi escoltado pelo Porsche também recuperado pelo empresário, segundo informações do jornal Extra.

+ Oito dilemas de Eike Batista na classe média

A devolução dos bens de Eike aconteceu após o juiz-substituto da 3ª Vara Federal Criminal, Vitor Valpuesta, determinar o desbloqueio no final de abril. Antes da operação da Polícia Federal, a Lamborghini enfeitava a sala da casa do empresário.

+ Eike ganha site que lista suas "realizações imprescindíveis"

Além, dos carros, o juiz decretou o desbloqueio dos bens do empresário e de seus familiares. Apesar disso, 162,6 milhões de reais do empresário continuam retidos na Justiça.

As apreensões na casa do empresário aconteceram em fevereiro, após determinação do juiz Flávio Roberto de Souza. O magistrado, porém, foi afastado do caso depois de ter sido flagrado usando um dos veículos apreendidos, o Porsche Cayenne turbo. A situação foi ironizada nas redes sociais pela mulher do empresário, Flavia Sampaio.

porsche
Porsche Cayenne de Eike Batista:  carro utilizado pelo juiz Flávio Roberto de Souza (Foto: Reprodução)

Avaliados em 1,8 milhão de reais, os carros do empresário Eike Batista têm 29 infrações de trânsito. Juntos, os veículos acumularam 3 809,44 reais em multas, segundo levantamento da Secretaria Municipal de Transportes do Rio de Janeiro.

Eike, que chegou a ser listado entre os dez homens mais ricos do mundo em 2013, segundo a revista Forbes, perdeu sua fortuna estimada em 30 bilhões de dólares, após a derrocada da petroleira OGX.

Fonte: VEJA SÃO PAULO