Vai bem com o que?

A capital de todos os sabores

A maior cidade brasileira concentra cozinhas do mundo todo, uma diversidade que encontra seu parceiro ideal em uma taça de um democrático Vinho Verde

Por: CVRVV - Atualizado em

Adiu Bastos, sommelier do restaurante TUJU
Chef Adiu, do restaurante Tuju (Foto: Roberto Sebá/Divulgação)

São Paulo é a mais cosmopolita e gastronômica capital da América Latina - a cidade figura no oitavo lugar no ranking mundial com 12.500 restaurantes. Mas o que impressiona aqui não é só a quantidade de estabelecimentos focados em comida, mas a variedade e a qualidade deles. O paulistano é um hedonista da boa mesa, e exigente no que põe (ou pede) em seu prato. Mas também gosta de variar suas opções.

Comida grega? Tem. Cambojana? Também. Strogonoff à tradicional moda russa? Claro. A própria cena gastronômica da cidade se firmou na diversidade: as correntes imigratórias que chegaram à antiga São Paulo de Piratininga trouxeram suas influências culturais e seus hábitos à mesa. Japoneses, italianos, árabes, latinos e até mesmo brasileiros de outras regiões (principalmente nordestinos), todos jogaram seus temperos nesse caldeirão que se tornou a cidade. Para o prazer de seus moradores e visitantes, que contam com uma infinidade de alternativas.

Isso sem contar as próprias raízes portuguesas, que se estabeleceram aqui desde a descoberta do país. Com eles, os portugueses trouxeram aos poucos seus costumes, depois alguns de seus ingredientes e mais recentemente seus vinhos – que fizeram do Brasil, aliás, um dos principais mercados consumidores. Toda a gastronomia brasileira, aliás, rica em tantos sabores e diversidade, harmoniza bem com os vinhos da região dos Vinhos Verdes justamente por esse caráter democrático que eles trazem: aromas e sabores intensos, como é a nossa culinária – de Norte a Sul. 

Espaguete de pupunha
Espaguete de pupunha (Foto: Roberto Sebá/Divulgação)

Dentre eles, os rótulos produzidos na região dos Vinhos Verdes, no noreste do país, encontraram boa aceitação na taça dos paulistanos. Um pouco pelo clima da cidade, outro tanto pela amplitude dos estilos dos vinhos produzidos ali, que vão bem durante todo o jantar, das entradas às sobremesas.

"São vinhos leves e de boa acidez. Vão muito bem com comida mas também são ótimos só com aperitivos", afirma Adiu Bastos, sommelier do restaurante Tuju (R. Fradique Coutinho, 1248), na Vila Madalena. Ao mesmo tempo que fazem companhia para pratos com peixes e frutos do mar, também podem ser degustados distraidamente, para refrescar no verão", completa.

Bastos indica uma harmonização imbatível da casa: o espaguete de pupunha com vôngole, lula e ovas de ouriço criado pelo chef Ivan Ralston com o Aphros Loureiro. "É um vinho fresco, de acidez vibrante e sutil mineralidade. Casa perfeitamente com o prato".

Conheça outros restaurantes onde é possível comer bem em São Paulo - com uma boa taça de Vinho Verde, é claro!

Taberna da Esquina
Restaurante Taberna da Esquina, no Itaim (Foto: Divulgação/Taberna da Esquina)

Taberna da Esquina

Vitor Sobral fez do Brasil sua morada. O chef português, que já comandava a Tasca da Esquina em São Paulo (e mais duas, uma em João Pessoa outra em Lisboa), inaugurou recentemente sua Taberna – voltada a petiscos e vinhos. Ali, o chef serve comidinhas feitas na grelha (do polvo às alheiras), ótimas frituras (dos bolinhos de bacalhau aos croquetes) e até pratos, quase sempre ideias para compartilhar.

Para pedir com um Vinho Verde: Polvo à Lagareiro

O vinho: Varanda do Conde / Portal do Fidalgo Alvarinho

R. Bandeira Paulista, 812 - Itaim Bibi

Bar da Dona Onça
Bar da Dona Onça fica no edifício Copan, no centro da cidade (Foto: Roberto Sebá/Divulgação)

Bar da Dona Onça

No icônico edifício Copan, no Centro de São Paulo, o Bar comandado pela chef Janaína Rueda serve comidinhas boêmias e clássicos paulistanos que nunca saem de moda, do Virado à paulista ao picadinho. Há, ainda, uma seção especial de arrozes, uma paixão da dona Onça – como ela é conhecida. Chegue cedo e se acomode: comendo bem e assistindo toda a pulsação da cidade, sem sequer levantar da mesa.

Para pedir com um Vinho Verde: Salada de beterraba, com bacon caseiro e queijo feta

O vinho: Palacio da Brejoeira Alvarinho

Onde: Av. Ipiranga, 200 - Lojas 27 e 29, Centro / Tel.: (11) 3257-2016

Mani
Peixe no tucupi e banana, do restaurante Maní (Foto: Divulgação)

Maní

Apesar do preciosismo com a combinação de sabores e com a montagem dos pratos que chegam à mesa, o que impressiona no Maní, dos chefs Helena Rizzo e Daniel Redondo é que todas as receitas tem um toque delicado, leve, dos belisquetes bem montados, como os espetinhos de polvo a galega com batatas confitadas e páprica doce, aos pratos como os fideuás de lagostins. Sabor com frescor.

Para pedir com um Vinho Verde: Peixe do dia com cenoura amarela, cogumelos porcini e um caldo de frango.

O vinho: Morgadio da Torre Alvarinho / Muros Antigos Escolha Alvarinho

Onde: Rua Joaquim Antunes, 210, Jd. Paulistano / Tel.: (11) 3085-4148.

Pad Thai
Pad Thai do restaurante Obá (Foto: Tadeu Brunelli via Hugo Delgado/Facebook)

Obá

O restaurante é uma prova de que misturas improváveis podem dar certo: pegue a culinária mexicana, adicione ingredientes brasileiros, temperos tailandeses e um toque italiano. Pronto, essa é a receita do Obá. Há guacamole, garri pup (pasteizinhos tailandeses com frango e curry) e moqueca. Há entradinhas leves e costela de boi. Nenhum tipo de apetite fica de fora. Oba!

Para pedir com um Vinho Verde: Pad thai - macarrão de arroz feito na wok com camarão e ingredientes tradicionais

O vinho: Muros Antigos Escolha Loureiro

Onde: Rua Dr. Melo Alves, 205, Jardins / Tel.: (11) 3086-4774

Barra de patrocinadores
(Foto: Divulgação)

Fonte: Abril