Crise hídrica

Cantareira volta a subir e nível chega a 15,6%

No cálculo novo divulgado pela Sabesp, porém, reservatório está com 12% de sua capacidade

Por: Veja São Paulo

Cantareira
Represa de Joanópolis, que compõe o Sistema Cantareira (Foto: Luis Moura/WPP/Folhapress)

O nível do Sistema Cantareira voltou a subir nesta quarta-feira (18). Na conta antiga, onde só o volume útil é considerado, o sistema passou de 15,3% para 15,6%. Já no cálculo novo, onde são somados os volumes útil e morto, o nível passou de 11,9% para 12%.

Esta foi a 12º alta consecutiva do Cantareira. No mês, a pluviometria acumulada é de 157,6 milímetros. O sistema registrou queda pela última vez no dia 1º de fevereiro.

Antes com 76,8%, o Guarapiranga opera com 77,4% nesta quarta-feira. Alto Tietê (22,2%), Alto Cotia (56,7%), e Rio Claro (40,6%) também registraram alta no novo balanço divulgado pela Sabesp. O único manancial que apresentou queda foi Rio Grande, que passou de 98,3% para 98,1%.

Mudança de cálculo

A segunda forma de visualização do cálculo de medição do volume de água armazenado no Sistema Cantareira faz parte da estratégia da Sabesp de dar mais transparência às informações sobre os mananciais, atendendo assim a recomendação do Ministério Público para que fossem detalhados, em formato gráfico, os volumes armazenados.

+ Confira as principais notícias da cidade

A companhia informou que, na prática, o volume armazenado. Hoje, existem 150,6 milhões de metros cúbicos para abastecer a população, enquanto o volume útil total do sistema é de 982 milhões de metros cúbicos. Considerando as duas reservas técnicas, porém, o volume armazenável sobe para 1,2 bilhão de metros cúbicos (Com Estadão Conteúdo).

Fonte: VEJA SÃO PAULO