Abastecimento

Sem chuva, Cantareira fica estável após subir por 19 dias

Responsável por abastecer 5,8 milhões de pessoas na Grande São Paulo, o Sistema Guarapiranga não registra alta desde 28 de janeiro

Por: Estadão Conteúdo

Cantareira crise hídrica
Sistema Cantareira: estabilidade após mais de duas semanas de alta (Foto: LUIS MOURA/ESTADÃO CONTEÚDO)

O volume armazenado de água no Sistema Cantareira continuou estável neste domingo (14) diante da ausência de chuvas, após uma sequência de dezenove dias de alta, encerrada no sábado. Segundo relatório divulgado pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), o manancial opera com 47,7% da capacidade, mesmo valor da véspera. Esse índice considera os 287 milhões de metros cúbicos do volume morto do sistema.

Se não for considerada a água da reserva profunda, que precisa ser captada com bombeamento especial e só começou a ser utilizada por causa da crise hídrica, o Cantareira tem hoje 18,4% de sua capacidade preenchida.

+ Confira as matérias da última edição de VEJA SÃO PAULO

Outros mananciais

Atualmente responsável por abastecer o maior número de pessoas na capital paulista e na Grande São Paulo (5,8 milhões), o Guarapiranga sofreu nova redução no volume armazenado, que caiu de 81,1% para 80,9%. O manancial está desde 28 de janeiro sem registrar aumento no volume armazenado.

Também sofreu uma redução o sistema Rio Grande. No sábado, o reservatório tinha 86,6% de volume armazenado e neste domingo tem 86,3%. Já o sistema Alto Cotia caiu de 100% para 99,8%.

Ainda em crise, o Alto Tietê se manteve estável neste domingo em 28,6%. O índice considera o volume morto adicionado no fim de 2014. Assim como o Cantareira, o sistema Rio Claro (81,5%) manteve o mesmo volume armazenado de sábado para domingo.

Fonte: VEJA SÃO PAULO