Dia das Bruxas

Jovens do ABC criam "Porta dos Fundos do terror" no YouTube

Canal Lenda Urbana, que completa um ano no Halloween, produz um vídeo por semana; atores das assustadoras noites do Playcenter participam de produções

Por: Jussara Soares - Atualizado em

LendaUrbana_CastelinhoApa
Almir Bonfim, Daniel Pires e Leandro Botelho: criadores do Lenda Urbana diante do Castelinho da Rua Apa, no centro da cidade (Foto: Divulgação)

Nem só de filmagens de humor vive a produção de vídeos brasileira na internet. Embora o enorme sucesso de produtoras como a Porta dos Fundos, de Fábio Porchat, Gregório Duvivier e companhia, e do Parafernalha faça multiplicar os canais engraçadinhos no YouTube, um trio de amigos da região do ABC resolveu investir em curtas-metragens de terror. Lançado no Dia das Bruxas do ano passado, o canal Lenda Urbana leva ao ar um vídeo autoral por semana e, apesar de suas histórias assustadoras, já bate a marca de 300 000 visualizações.  

+ Dicas para organizar uma festa de Halloween bonita e barata

Os números ainda são modestos se comparados aos dos canais de comédia, mas a originalidade do projeto ganhou destaque no youPIX Festival, realizado em julho em São Paulo, e garantiu o convite para gravar na sede do YouTube em um cenário desenvolvido pelo cineasta Guillermo del Toro, diretor de Hellboy, O Labirinto do Fauno, entre outros longas. As gravações serão nos próximos dias 8 e 9.

LendaUrbana_Annabelle
O canal completa um ano no Dia das Bruxas: produções semanais (Foto: Divulgação)

"Tem muita gente tentando fazer rir. Nós queremos causar medo, tensão, suspense", diz o produtor de vídeo Daniel Pires, de 28 anos, um dos criadores do canal, ao lado do analista de marketing Leandro Botelho, de 30 anos, e do também produtor de vídeo, Almir Bonfim, de 26 anos. "Já nos chamaram de Porta dos Fundos do capeta." 

Guloseimas aterrorizantes para celebrar o Halloween

Os roteiros originais se transformam em pequenas esquetes de casos de fantasmas, zumbis e aparições. "Sempre gostei de histórias de terror. No roteiro, trago um pouco dessas lendas que escutamos desde a infância e traduzo o medo que todos nós já sentimos um dia", afirma Pires. Os vídeos são divulgados de sábado para domingo. Sempre à meia-noite, claro. 

Os curtas com mais visualização são Não Pisque, sobre o medo de levantar da cama no meio da madrugada; Cômodo, com base na aparição de espíritos; Frio, a respeito de mortos que conversam pelo bate-papo no Facebook; e Annabelle , inspirado na mesma história que deu origem ao filme que chegou ao cinemas em 9 de outubro. A maioria das produções conta com a participação de atores amadores. Artistas que integravam as lendárias Noites do Terror do Playcenter e hoje fazem a Cidade do Terror de São Bernardo do Campo já atuaram em dois vídeos: O Parque e Menina do Casarão, especial de um ano que será divulgado na sexta-feira (31). 

O Lenda Urbana também quer investir em documentários sobre histórias de medo que rondam a região metropolitana de São Paulo. O primeiro foi O Mistério do Castelo sobre o crime da Rua Apa, no centro da capital, ocorrido em 12 de maio de 1937. Maria Cândida Guimarães dos Reis e os filhos Álvaro e Armando Cézar dos Reis foram encontrados mortos dentro do castelo medieval, que ainda hoje pode ser visto por ali. "A ideia é explorar os mistérios da capital em documentários em especiais de sexta-feira 13", diz Pires. 

+ Receita de bolo para Dia das Bruxas com recheio e cobertura de buttercream

No início, o público-alvo era o infanto-juvenil, de 11 a 17 anos, mas a audiência mostrou que jovens entre 19 e 29 anos aparecem como maioria. "São pessoas que não têm medo, mas gostam do gênero", avalia o produtor. 

Veja alguns vídeos do canal Lenda Urbana:

+ Quatro pubs que promovem festas de Dia das Bruxas

Fonte: VEJA SÃO PAULO