POLÍTICA

Câmara aprova CPI para investigar a Sabesp

Requerimento foi aprovado por 30 dos 55 vereadores na tarde desta quarta-feira (6)

Por: Redação VEJA SÃOPAULO.COM

A Câmara Municipal aprovou na tarde desta quarta-feira (6) a criação de um CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para apurar contratos da Sabesp com a prefeitura.

+ Seca e falha de gestão causam crise de água em São Paulo

A iniciativa de criar a comissão partiu do vereador Laércio Benko (PHS), da base aliada do prefeito Fernando Haddad (PT). “A Sabesp não está cumprindo o contrato de fornecer água para a prefeitura de São Paulo. Queremos entender por que isso está acontecendo”, afirmou Benko.

A assessoria de imprensa da Casa informou que foram 30 votos favoráveis e nove contrários ao requerimento de criação da CPI. Há 55 vereadores na Câmara.  PT, PMDB, PSD e PP apoiaram a criação da comissão.

O vereador Andrea Matarazzo (PSDB) disse que a criação desta CPI não tem fundamento, já que os contratos da Sabesp são públicos. “Esta CPI é um barulho político, há um interesse eleitoral por trás disso. Não há necessidade de se instaurar uma CPI”, argumentou. Em sua conta no Twitter o tucano Mario Covas Neto escreveu: “Numa manobra na Câmara, base aliada do prefeito aprova CPI da Sabesp. Sugiro que o primeiro convocado seja São Pedro”.

Benko afirma que é a terceira vez que apresenta o requerimento para investigar a Sabesp. A primeira delas teria sido em 2013.

A partir da criação da CPI, as bancadas têm sete dias para indicar seus nomes para compor a comissão, que será formada por nove parlamentares e presidida por Benko.

O vereador do PHS espera que até o dia 20 de agosto as diligências para investigar a Sabesp já estejam em curso.

+ Sabesp vai usar água do volume morto do Alto Tietê

Os reservatórios de São Paulo vivem sua pior crise. O Sistema Cantareira opera com 14,6% de sua capacidade. Já o Sistema Alto Tietê registra 19,6%. 

Fonte: VEJA SÃO PAULO