Acidente

Píer de acesso a casa noturna desaba e jovens caem no mar

Acidente aconteceu por volta das 20h de sábado (5) no Café De La Musique, no Guarujá

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

Píer - Guarujá
Píer de acesso à casa noturna que desabou (Foto: Reprodução)

O píer de acesso à casa noturna Café De La Musique São Pedro, que fica em frente a uma marina no Guarujá, litoral de São Paulo, desabou por volta das 20h do último sábado (5). Jovens que chegaram de barco e esperavam no local para entrar no estabelecimento caíram no mar e ficaram com escoriações pelo corpo.

Segundo testemunhas, mais de vinte pessoas caíram na água ou ficaram presas entre os vãos das tábuas de madeira que se romperam. "Estava esperando com o convite na mão para entrar e, do nada, me vi dentro da água", relembra a estudante Juliana Ferreira, de 19 anos. "Assustei, porque mergulhei de cabeça inteira e não sei nadar muito bem." 

+ Bando assalta shopping do Grupo Silvio Santos no Guarujá

De acordo com o relato de pessoas feridas, nenhum funcionário da casa noturna prestou socorro às vítimas. "Muita gente perdeu o convite na queda e ficou de fora", conta Juliana. "Não nos deixaram entrar nem para chegar à porta com saída para a rua, o único jeito de conseguir um táxi por ali."

pier-guaruja-cortes1
A jovem Amanda Martinez ficou com cortes nas pernas após a queda do píer (Foto: Arquivo Pessoal)

Após o ocorrido, as vítimas criaram uma página no Facebook para pedir providências e explicações à Marina Tchabum, responsável pelo píer, e à casa noturna. Ali, estão sendo postados relatos e fotos de ferimentos. "Só depois da repercussão conseguimos conversar com os responsáveis", diz Amanda Martinez, de 18 anos, criadora da página. "Agora, eles dizem que querem nos ajudar."

+ Incêndio atinge quiosques no Guarujá

Em nota publicada em sua página oficial no Facebook, o Café De La Musique afirma que a responsabilidade pela manutenção do píer é da marina e que o reparo já foi providenciado pelos proprietários. O estabelecimento alega ainda que prestou ajuda aos clientes que foram lesados.

A Marina Tchabum afirma que o píer foi reformado há cerca de dois anos, que está investigando o problema que levou ao rompimento de uma das colunas e que está em contato com as vítimas.

Fonte: VEJA SÃO PAULO